1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Arrecadação em janeiro soma R$ 129,4 bi, pior resultado para o mês desde 2011

- Atualizado: 25 Fevereiro 2016 | 09h 54

Recolhimento de impostos teve queda real de 6,71% na comparação com janeiro do ano passado; ante dezembro, houve aumento de 5,15%

Código de Processo Civil altera cobrança de pensão alimentícia

Código de Processo Civil altera cobrança de pensão alimentícia

BRASÍLIA - Com a crise econômica afetando a atividade econômica e o pagamento de impostos, a arrecadação de tributos pela Receita Federal registrou queda no primeiro mês do ano, na comparação com o mesmo mês de 2015. Dados divulgados pelo órgão mostram que o recolhimento de impostos e contribuições federais somou R$ 129,385 bilhões em janeiro, queda real de 6,71% na comparação com janeiro do ano passado. Em relação a dezembro, houve um aumento de 5,15% na arrecadação.

O desempenho de janeiro foi o pior para o mês desde 2011, quando ficou em R$ 128,597 bilhões.

A arrecadação veio dentro do intervalo previsto entre R$ 119,500 bilhões e R$ 139,400 bilhões, conforme pesquisa do AE-Projeções, serviço da Agência Estado. A partir do intervalo de 25 estimativas enviadas por instituições do mercado financeiro, a mediana atingiu R$ 130,000 bilhões. 

Desonerações. As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 7,093 bilhões em janeiro, valor 29,35% menor do que o montante acumulado no mesmo período do ano passado. A desoneração de folha de pagamento custou R$ 1,211 bilhão em janeiro.

Os dados de janeiro do governo federal também apontam uma arrecadação de R$ 548 milhões com o Refis no mês passado, programa de parcelamento concedido através da lei 12.996 de 2014. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX