1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Às vésperas do Copom, presidente do BC diz que revisão do FMI foi 'significativa'

- Atualizado: 19 Janeiro 2016 | 09h 35

Após a revisão do Fundo para o PIB brasileiro, Tombini afirmou que todas as informações econômicas relevantes são consideradas nas decisões do colegiado

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini

BRASÍLIA - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, divulgou comentário nesta terça-feira, 19, sobre a revisão do Fundo Monetário Internacional (FMI) das projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2016 e 2017. De acordo com Tombini, as mudanças foram "significativas". Ele também afirmou na nota que "todas as informações econômicas relevantes e disponíveis até a reunião do Copom são consideradas nas decisões do colegiado".

De acordo com o World Economic Outlook do FMI, o Brasil terá retração de 3,5% este ano - a previsão anterior era de queda de 1% - e estabilidade no ano que vem ante perspectiva anterior de avanço de 2,3%. O Fundo atribui, de acordo com a nota do BC, a fatores não econômicos as razões para esta rápida e pronunciada deterioração das previsões.

O Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne em 2016 pela primeira vez hoje e amanhã também, quando informa o novo nível da taxa básica de juros (Selic), atualmente em 14,25% ao ano. A expectativa maciça do mercado financeiro é de que haverá uma alta para 14,75% ao ano. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX