Bairros planejados ganham espaço no País

Considerados uma nova tendência urbanística, empreendimentos estão entre os temas que serão abordados no 1º Summit Imobiliário Brasil

O Estado de S.Paulo

21 Março 2015 | 02h07

De olho em iniciativas internacionais que buscam integrar moradia, trabalho e lazer em ambientes sustentáveis, ganham espaço no País empreendimentos que pretendem ser bairros planejados. Localizados em grandes terrenos na área metropolitana, esses projetos, que vêm chamando a atenção de incorporadoras e empresas de urbanismo, concentram prédios residenciais, comerciais, lojas e parques, além de dispor de sistemas para economia de água, energia e reciclagem.

Tendências urbanísticas e perspectivas para o mercado imobiliário, tais como os bairros planejados, serão alguns dos temas abordados no 1.º Summit Imobiliário Brasil 2015, evento promovido pelo Estado e pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) no dia 14 de abril, no hotel Grand Hyatt, em São Paulo.

Um dos palestrantes será o professor brasileiro Soleiman Dias, diretor da Chadwick Internacional, na Coreia do Sul, que apresentará o projeto do icônico Songdo, conhecido como o maior empreendimento sustentável do mundo.

Com um investimento de US$ 35 bilhões, o projeto prevê a construção de uma grande comunidade a 65 quilômetros de Seul, que contará com 80 mil apartamentos e 46 milhões de metros quadrados de escritórios, além de controle inteligente de tráfego, internet wireless, 40% de áreas verdes, programas de reciclagem e uso consciente de água e energia.

O Brasil ainda não possui uma cidade completamente planejada e integrada como o desenho coreano, porém já começa a ensaiar seus primeiros passos no modelo.

Um desses empreendimentos, iniciado em 2012, é o Parque da Cidade, um terreno de 80 mil metros quadrados na região da Chucri Zaidan, zona sul de São Paulo. O projeto da Odebrecht Realizações Imobiliárias, com valor geral de venda de R$ 4 bilhões, é composto por dez edificações, sendo cinco torres corporativas, uma de escritórios, duas residenciais, um shopping e um hotel. Em setembro, serão entregues a torre de escritórios e uma das torres comerciais. Os prédios residenciais começarão a ser vendidos no ano que vem.

"Queríamos implementar o conceito de cidade compacta: facilitar a vida do usuário provendo serviço, trabalho, entretenimento e lazer no mesmo lugar", afirma Saulo Nunes, diretor de incorporação da Odebrecht Realizações Imobiliárias. Para isso, a equipe contratou uma consultoria inglesa e viajou a Londres, Amsterdã, Sydney e outras cidades para estudar modelos bem-sucedidos.

"Além da comodidade, temos um plano de sustentabilidade na parte ambiental - vamos economizar 50% de água do empreendimento, com reúso de água e sistema de esgotamento de avião", diz Nunes. O sistema do parque também prevê economia de 20% de energia e reciclagem de 50% dos 10 mil quilos de resíduos esperados por dia.

Nunes observa também que complexos planejados, ao contrário do que pode parecer, não tendem a causar isolamento. "Não haverá muros, será um espaço aberto. Não queremos fechar os nossos usuários dentro do condomínio. O nosso maior desafio é até mesmo trazer gente fora do horário comercial, à noite ou no fim de semana, para usufruir das opções de lazer e entretenimento que o Parque pode oferecer", diz.

Outro empreendimento, o Jardim das Perdizes, da Tecnisa, terá, em um terreno de 250 mil metros quadrados, com cerca de 30 torres residenciais e comerciais, um hotel e um parque público. O valor geral de vendas anunciado é de R$ 6,4 bilhões.

"O bairro planejado tem uma função importante no desenvolvimento do tecido urbano", diz Cláudio Bernardes, presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). Ele ressalta, no entanto, que é preciso ir além do bairro planejado e pensar também no projeto urbanístico da cidade. "Como a cidade já cresceu e não temos muitas áreas livres, temos de procurar estabelecer induções legais para a ocupação planejada das áreas já existentes, além de implementar componentes do bairro planejado na revitalização de determinadas áreas da cidade", diz.

SUMMIT IMOBILIÁRIO BRASIL 2015

DIA DE 14 ABRIL DE 2015

DAS 8H ÀS 18H

GRAND HYATT HOTEL, EM SÃO PAULO

INGRESSOS À VENDA PELO SITE

INGRESSO RÁPIDO

MAIS INFORMAÇÕES: WWW.ESTADAO.COM.BR/SUMMIT-IMOBILIARIO/

Mais conteúdo sobre:
summit imobiliário economia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.