Divulgação
Divulgação

Balança comercial tem superávit de US$ 6,142 bilhões em abril

Resultado foi o segundo melhor para o mês, inferior apenas ao saldo positivo de US$ 6,963 bilhões de abril de 2017

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2018 | 15h49

BRASÍLIA-   Mesmo com queda nas exportações e aumento nas importações, a balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 6,142 bilhões em abril, de acordo com dados divulgados na quarta-feira, 02, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

+ EUA decidem aplicar sobretaxa ou cota de exportação a aço e alumínio do Brasil

O resultado foi o segundo melhor para o mês na série histórica (iniciada em 1989), só atrás do saldo positivo de US$ 6,963 bilhões de abril de 2017.

As exportações no mês passado somaram US$ 19,932 bilhões, uma queda de 3,4% na média diária em relação ao mesmo mês do ano passado. Já as importações cresceram 10,3% na mesma comparação, totalizando US$ 13,790 bilhões em abril. 

O diretor de estatísticas e apoio às exportações do MDIC, Herlon Brandão, explicou que a queda média diária das exportações de abril em relação ao mesmo mês do ano passado foi causada, em parte, pela menor quantidade de dias úteis. “Além disso, a safra de soja está sendo escoada mais cedo este ano. Em abril de 2017, foram embarcadas 10,4 milhões de toneladas ante 10,26 milhões de toneladas no mês passado”, destacou.

Brandão citou ainda a queda de 15% no preço do minério de ferro ante abril de 2017, mas ponderou que o preço do produto vem se recuperando ao longo dos últimos meses. “Há também queda na exportação de açúcar em bruto pelo aumento da oferta mundial, e por isso há inclusive uma tendência de aumento da produção de etanol.”

Por outro lado, o aumento do preço internacional do barril de petróleo mais que compensou a redução do volume exportado pelo Brasil de janeiro a abril deste ano. No primeiro quadrimestre, a quantidade exportada de petróleo em bruto caiu 7%, mas o preço subiu 15,5% em relação ao mesmo período do ano passado, o que resultou em aumento de 24,2% no valor vendido. 

+ Boeing compra fabricante de peças aeroespaciais KLX por US$ 4,25 bi

Pelo lado das importações, ele afirmou que em abril continuou a trajetória de crescimento das compras do exterior, puxada pelo aquecimento da atividade econômica. Mas a valorização do dólar, encarecendo as compras, traz dúvidas se a entrada de importados no Brasil manterá a cadência nos próximos meses, diz o economista da Tendências Silvio Campos Neto.

“Espera-se que as importações cresçam mais. Mas agora temos de começar a avaliar que impacto poderá acontecer nas importações se essa mudança na taxa de câmbio for definitiva. Pode haver uma moderação no ritmo de importação", afirma o analista.

No ano, o superávit comercial soma US$ 20,090 bilhões. Em 2017, o resultado nos quatro primeiros meses do ano foi positivo em US$ 21,365 bilhões. /COLABOROU EDUARDO LAGUNA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.