André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Banco Central deve anunciar aprimoramento metodológico para incorporar Fies

Dados de resultado primário não devem sofrer alterações, mas a estatística de dívida líquida pode ser impactada

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

18 Julho 2017 | 19h17

O Banco Central também deve anunciar aprimoramentos metodológicos para incorporar o impacto fiscal das operações do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) em suas estatísticas, disse o coordenador-geral de Estudos Econômico-Fiscais do Tesouro, Felipe Bardella.

Segundo o técnico, os dados de resultado primário divulgados pelo BC (e que valem para avaliar se o governo cumpriu ou não a meta fiscal do ano) não devem sofrer alterações, uma vez que a metodologia do Banco Central já captura esse efeito. Mas a estatística de dívida líquida deve sofrer impacto - o Tesouro disse não saber ainda com que viés.

"O Banco Central deve detalhar esses aprimoramentos", disse o coordenador. "Esse novo processo está alinhado ao processo do Tesouro", afirmou.

Bardella explicou ainda que só agora foi possível fazer esse ajuste na metodologia de resultado primário do Tesouro Nacional (mensurado a partir do fluxo de receitas e despesas).

++ Empréstimos do BNDES recuam 17% no primeiro semestre

"Não identificamos no ano passado que esse era o evento que estava gerando discrepância (em relação a resultado do BC), o que saltou aos olhos em 2016", justificou. Em 2016, a discrepância "não explicada" atingiu R$ 8,94 bilhões, bem acima dos padrões históricos.

A partir de agora, o coordenador afirmou que a discrepância estatística existente entre o resultado primário do Tesouro e o do BC (que leva em consideração as mudanças no estoque da dívida líquida) deve voltar ao padrão. "Não há indício de nenhuma outra questão estrutural que precise ser atacada dentro da questão metodológica", disse. 

Mais conteúdo sobre:
Banco Central Tesouro Nacional Fies

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.