1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Bancos brasileiros foram mais rentáveis do que os dos EUA em 2015

- Atualizado: 23 Março 2016 | 15h 06

Levantamento da Economatica mostra que a rentabilidade das instituições brasileiras aumentou no ano passado, mas caiu nas norte-americanas

Banco do Brasil lidera em ativos no País: US$ 358,8 bilhões

Banco do Brasil lidera em ativos no País: US$ 358,8 bilhões

Os bancos brasileiros de capital aberto foram mais rentáveis em 2015 do que os norte-americanos. Segundo estudo da Economatica, a mediana do indicador Rentabilidade sobre o Patrimônio (ROE) das instituições brasileiras subiu de 8,04% em 2014 para 10,78% em 2015, contra uma queda de 8,47% para 7,92% dos bancos dos Estados Unidos.

No histórico da rentabilidade, o maior nível atingido de ROE dos bancos brasileiros foi em 2007, de 21,07% e o menor nível em 2014, de 8,04%. No caso dos EUA, o maior foi em 2000, de 16,31%, e o menor em 2009, de 2,81%.

Uma segunda análise da Economatica considera somente os bancos com ativos acima de US$ 100 bilhões. Nesse caso, oito bancos norte-americanos lideram a lista, sendo o maior ativo do JPMorgan Chase, de US$ 2,351 trilhões. Do Brasil, o maior é o Banco do Brasil, com US$ 358,822 bilhões. Na lista ainda aparecem Itaú Unibanco, de US$ 348,077 bilhões; Bradesco, com US$ 260,937 bilhões; e Santander Brasil, de US$ 173,492 bilhões.

Nesta análise sobre os grandes bancos, a mediana do ROE dos brasileiros passou de 18,23% em 2014 para 20,06% em 2015. Nos Estados Unidos, a mediana do ROE passou de 9,68% para 8,37%.

O maior é o Itaú Unibanco, com 22,97%, seguido pelo Bradesco (20,21%), Banco do Brasil (19,91%) e Santander Brasil (12,48%).

Bancos driblam crise e mantêm lucros bilionários
Estadão
Esforço extra, lucros enormes

Em um ano de turbulências na economia, os bancos alegaram ter sido necessário um esforço redobrado para obter resultados positivos. E deu certo. De acordo com os números divulgados pelos maiores bancos no País, apenas a Caixa (0,9%) teve crescimento abaixo dos dois dígitos. O Banco do Brasil foi o que mais cresceu: 28% em relação ao ano de 2014. O maior lucro, porém, ainda é do Itaú, com R$ 23,4 bi. 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX