BC: parte do mercado já crê em recuperação dos EUA

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, afirmou hoje que o desempenho positivo das bolsas nos últimos dias pode estar antecipando um processo de recuperação da economia norte-americana. Ele lembrou que o presidente do Federal Reserve (o banco central dos EUA), Ben Bernanke, avaliou que a economia real dos Estados Unidos vai cair um pouco mais antes de melhorar. "Se ele estiver correto, o mercado está se antecipando bastante a esse processo de recuperação da economia americana", afirmou Meirelles, que participou, por meio de videoconferência, instantes atrás, do Fórum de Economia promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

06 Maio 2009 | 17h12

Durante a sua apresentação de quase uma hora sobre a crise internacional e a reação da economia brasileira, Meirelles disse não ter dúvidas de que o Brasil entrou nesta crise em uma posição bastante diferenciada em relação à de outros países emergentes e de outros países amadurecidos.

O presidente do BC fez uma retrospectiva de como a crise mundial começou, citando os problemas de financiamento no mercado imobiliário norte-americano. Ele também relatou que houve uma crise de demanda por imóveis nos EUA, que levou a uma queda de 78% no valor das moradias desde janeiro de 2006, mas citou que já se observam sinais de recuperação nos preços das residências, embora isso não represente estabilização. "Parte dos mercados começa a acreditar em recuperação dos EUA, mas isso não significa que houve estabilização desse processo."

Meirelles afirmou que, apesar de as bolsas de valores não terem sido o epicentro da atual crise, como ocorreu em 1929, a estimativa é de que as perdas nas bolsas chegaram a US$ 31 trilhões desde novembro de 2007. No caso dos bancos, as perdas somaram US$ 3 trilhões somente nos EUA, totalizando US$ 4,1 trilhões no mundo.

PIB

Meirelles disse que o mercado "está um pouquinho pessimista na sua previsão de crescimento da economia brasileira". Ele lembrou que o relatório Focus dessa semana previu uma queda no Produto Interno Bruto (PIB) de 0,30% em 2009. Mas, destacou, a cada semana esta estimativa vem melhorando.

Meirelles reafirmou que o BC estimou em março um crescimento de 1,2% do PIB brasileiro para 2009. A próxima previsão será divulgada em junho. Ele lembrou que, assim como o mercado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) também projetou uma retração na economia brasileira, de 1,3%, mas a instituição reconhece que não considerou alguns aspectos específicos no Brasil.

Mais conteúdo sobre:
crise mercados Meirelles

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.