1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

BNDES aprova crédito de R$ 3,58 bi para a Concebra

- Atualizado: 25 Fevereiro 2016 | 09h 17

Concessionária vai investir os recursos em mais de mil quilômetros de rodovias em Goiás, Minas e Distrito Federal

Concessionária prevê investimentos em 1176 quilômetros de estradas que administra nos Estados de Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal 

Concessionária prevê investimentos em 1176 quilômetros de estradas que administra nos Estados de Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 3,58 bilhões para a Concessionária das Rodovias Centrais do Brasil S/A (Concebra), responsável pela BR- 060/BR-153/BR-262. O projeto prevê investimentos nos 1.176 quilômetros de estrada operados pela concessionária, abrangendo os Estados de Goiás e Minas Gerais, passando pelo Distrito Federal.

Com o empréstimo concedido agora, o BNDES já tem quase R$ 6,5 bilhões aprovados para concessionárias de rodovias federais desde outubro do ano passado. A demora na aprovação dos financiamentos – implícitos na rodada de concessões – era uma das queixas das empresas vencedoras de leilões.

Segundo empresários, o represamento de recursos ameaçava a atratividade de futuras concessões. O governo teria interesse em licitar oito rodovias ainda este ano, mas a estrada com maior viabilidade de passar para a iniciativa privada é a Rodovia do Frango, que corta os Estados do Paraná e Santa Catarina.

O pacote de concessões da primeira fase do Programa de Investimentos em Logística (PIL), do governo federal, começou a ser leiloado em novembro de 2013, e os pedidos de financiamento chegaram ao BNDES ainda no primeiro semestre de 2014. Segundo Cleverson Aroeira, chefe do Departamento de Logística do BNDES, o processo de análise é longo por causa da complexidade dos projetos, mas o banco chegou, enfim, à reta final de todos os pedidos.

Com três empréstimos a concessionárias de rodovias resolvidos nos últimos cinco meses, ficam faltando os anúncios de financiamentos de longo prazo para apenas duas concessões rodoviárias que ainda aguardam liberação: o trecho da BR-163, no Mato Grosso, concedido à Odebrecht Transport; e o trecho entre Juiz de Fora (MG) e Brasília da BR-040, administrado pela Invepar.

No fim de outubro, o Estado revelou que o acúmulo de pedidos de empréstimo em análise no BNDES, que somavam entre R$ 15 bilhões a R$ 17 bilhões (incluindo os já aprovados), causava apreensão em setores do governo.

O financiamento aprovado agora para a Concebra terá R$ 2,51 bilhões na modalidade direta e R$ 1,07 bilhão na modalidade indireta, com repasses de agentes financeiros. As condições refletem a carta divulgada pelo banco antes do leilão de concessão, com taxa de juros de 2%, somada à TJLP, carência até o final do período de investimentos – previstos em cinco anos – e prazo de amortização de 20 anos. O projeto prevê a duplicação de cerca de 640 km de rodovias, restaurações nas vias e manutenção de serviços aos usuários.

Banco também deve liberar recursos a aeroportos.

Banco também deve liberar recursos a aeroportos.

Aeroportos. O BNDES anunciará também nas próximas semanas a aprovação do financiamento de longo prazo para a concessionária RIOgaleão, que opera o aeroporto internacional do Rio de Janeiro. O empréstimo abre caminho para uma nova rodada de concessões, que incluirá os aeroportos de Salvador, Fortaleza, Florianópolis e Porto Alegre.

De acordo com o BNDES, grupos estrangeiros têm procurado a instituição atrás de informações sobre as possíveis novas concessões. Os editais de licitação para as novas concessões devem ser publicados entre os meses de maio e junho, afirmou ontem o ministro da Aviação, Guilherme Ramalho, em visita ao Rio.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX