1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

BNDES aprova R$ 1,4 bi para projetos eólicos

- Atualizado: 04 Fevereiro 2016 | 08h 47

Novos financiamentos vão para três complexos instalados em Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Sul

Está prevista a geração de 1,6 mil empregos diretos e cerca de 3,5 mil indiretos na fase de implantação

Está prevista a geração de 1,6 mil empregos diretos e cerca de 3,5 mil indiretos na fase de implantação

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou três novos financiamentos para complexos eólicos em Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Sul. O valor total dos empréstimos é de R$ 1,4 bilhão. Segundo o banco de fomento, os três projetos terão 274 aerogeradores, com potência instalada total de 495,6 MW, e devem gerar 1,6 mil empregos diretos e cerca de 3,5 mil indiretos na fase de implantação.

A maior operação fechada no fim de 2015, de R$ 658,3 milhões, apoia a implantação do Complexo Eólico de São Clemente, do grupo Casa dos Ventos, em Pernambuco, com capacidade instalada de 216,1 MW. Orçado em R$ 1,1 bilhão, o complexo reunirá oito parques, instalados nos municípios de Caetés, Capoeiras, Pedra e Venturosa, no Agreste Pernambucano.

Está prevista a geração de 500 empregos diretos e 1 mil indiretos na fase de construção. Quando entrar em funcionamento, o projeto deverá criar 30 vagas diretas e 50 indiretas.

No Rio Grande do Sul, o valor do financiamento foi de R$ 496,5 milhões, para o Complexo Eólico de Hermenegildo, nos municípios de Santa Vitória do Palmar e Chuí. Orçado em R$ 1,04 bilhão, o complexo – pertencente à Eletrosul e Renobrax – tem capacidade de 180,8 MW, distribuída por 12 parques eólicos. O complexo entrou em operação comercial em novembro de 2015. Em sua construção, foram criados 700 empregos diretos e 1,2 mil indiretos. Em operação são 70 diretos e 100 indiretos. Do total financiado pelo BNDES, R$ 346,5 milhões serão desembolsados diretamente pelo banco e os R$ 150 milhões restantes serão repassados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

No Ceará, o Complexo Eólico de Aracati, do Grupo Alupar, recebeu R$ 261,3 milhões do BNDES. Orçado em R$ 483,15 milhões, o complexo, formado por cinco parques eólicos, terá potência instalada de 98,7 MW. Na construção devem ser criados 425 empregos diretos e 1,3 mil indiretos. Em operação serão 33 diretos e 100 indiretos.

O BNDES encerrou o ano passado com R$ 7,42 bilhões em aprovações para 82 novos projetos de geração de energia elétrica dessa fonte, que somam 2.102 MW de potência instalada. O valor representa um aumento de 12,7% em relação ao montante aprovado no ano anterior, de R$ 6,58 bilhões.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX