Zô Guimarães/Alerj/Divulgação
Zô Guimarães/Alerj/Divulgação

BNDES lança edital para consultoria que fará modelo de privatização da Cedae

A privatização da estatal é um dos pré-requisitos da adesão do Estado do Rio ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), criado por lei federal mês passado

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

07 Junho 2017 | 14h31

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) publicou nesta quarta-feira edital para selecionar a consultoria que fará a modelagem de privatização da Cedae, a companhia estatal de saneamento do Estado do Rio. A privatização da estatal é um dos pré-requisitos da adesão do Estado do Rio ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), criado por lei federal mês passado. As ações da Cedae servirão de garantia para novos empréstimos de até R$ 3,5 bilhões para o Rio.

Para participar da licitação, as consultorias interessadas precisam dar entrada no pedido de pré-qualificação até o próximo dia 21. A licitação segue os moldes do trabalho de coordenação que o BNDES vem fazendo no setor de saneamento básico, que já teve a adesão de vários Estados.

União vai bloquear mais R$ 109,5 milhões das contas do Rio

A consultoria contratada elaborará um plano para participação privada no saneamento. O modelo pode envolver a venda integral da Cedae, concessões a mais de uma empresa privada, ou parcerias público-privadas. 

O governo fluminense vinha resistindo a contratar o BNDES para coordenar a privatização da Cedae, como revelou o Broadcast, notícias em tempo real do Grupo Estado, no início do ano. Em meados do mês passado, porém, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) mudou de tom e afirmou publicamente que o banco federal de fomento atuaria na operação. 

Após rejeição de contas, deputados pedem impeachment de Pezão

Após as declarações de Pezão, no último dia 23, a Cedae enviou fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando que até "o presente momento", não havia nenhuma comunicação oficial quanto à escolha de instituições financeiras responsáveis pela modelagem de privatização. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.