1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

BNDES lança linha para financiar projetos em infraestrutura

- Atualizado: 29 Março 2016 | 00h 13

Orçamento será de R$ 200 milhões, que serão usados para financiar a elaboração dos planos

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançará uma linha, com orçamento de R$ 200 milhões, para financiar a elaboração de projetos de investimento em infraestrutura, concessões ou parcerias público-privadas (PPPs), anunciou nesta segunda-feira, 28, o presidente da instituição, Luciano Coutinho. O orçamento da linha BNDES Estruturação de Projetos será alocado num fundo. Será exigido, como contrapartida, que o direito de ressarcimento pela elaboração do projeto seja pago ao fundo criado pelo BNDES.

"A ideia é que os recursos pagos possam funcionar como uma forma de realimentar o fundo para fazer novos projetos", disse Coutinho, em palestra durante jantar em homenagem aos 50 anos da Associação Brasileira de Consultores de Engenharia (ABCE), no Rio. Nesta terça-feira, a nova linha será detalhada em apresentação durante seminário promovido pela ABCE, também no Rio.

Quem buscará o financiamento (não reembolsável) junto ao BNDES serão as consultorias em engenharia, que serão inicialmente selecionadas por Estados, municípios ou pelo governo federal (órgãos como ministérios e agências reguladoras dos setores de infraestrutura).

A seleção das consultorias deverá ser feita, necessariamente, no âmbito de licitações de PPPs ou concessões, que deverão incluir em suas regras o mecanismo de ressarcimento, por parte do vencedor do certame, dos custos de elaboração do projeto. O BNDES informou que, dessa forma, assumirá o risco de a licitação não ter interessados - por isso, a seleção da consultoria, a ideia do projeto e o esboço do futuro leilão passarão pelo crivo do banco de fomento. A ideia é que o pedido da nova linha leve cerca de três meses para ser aprovado. 

Nesse modelo, a consultoria de engenharia financiada não ficará devendo ao banco, informou a assessoria de imprensa da instituição. A consultoria selecionada, que fica com o direito do ressarcimento ao fim do processo de escolha do empreendedor para executar o projeto, passa esse direito ao BNDES, que alocará os recursos no fundo. Outra exigência, informou o BNDES, é que as consultoria ou grupos de consultorias de engenharia sejam necessariamente independentes de interessados em disputar as licitações pelas concessões ou PPPs. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX