Thiago Teixeira/Estadão
Thiago Teixeira/Estadão

Bolsa, Anbima e bancos se unem para padronizar informações sobre investimentos

Associação, que foi aprovada pelo Cade, criará empresa para administrar dados sobre fundos e carteiras

Luci Ribeiro, O Estado de S. Paulo

09 Setembro 2015 | 13h08

BRASÍLIA - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a constituição da sociedade por ações denominada Newco, que contará com a participação de 12 bancos, BM&FBovespa e Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). A decisão está publicada em despacho no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 9. 

A nova empresa irá administrar, de maneira padronizada, informações sobre fundos de investimento e carteiras de investimento de instituições inseridas no mercado de capitais. A Newco já tem em mãos a administração do Sistema Galgo, que desenvolve soluções para padronizar a comunicação no setor para evitar erros comuns aos processos manuais, trazer mais qualidade e controle à operacionalização dos fundos e carteiras, reduzir tempo no acesso às informações e sua circulação, simplificar os processos e centralizar em um único ambiente os "atores" da indústria de fundos e carteiras para o acesso às informações disponíveis. 

As informações trabalhadas no âmbito do Sistema Galgo incluem cadastro de fundos e carteiras, patrimônio líquido, cota, extrato consolidado de passivo, posição da carteira de ativos, especificação de comitentes e operações realizadas.

Em documento enviado ao Cade, as empresas defendem que o sistema vem alinhar o Brasil com práticas realizadas em países como os Estados Unidos, por exemplo, que utilizam desde 1973 um sistema de comunicação padronizado denominado Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication (Swift). "Trata-se de uma rede utilizada por mais de 10 mil instituições financeiras, localizadas em 212 países, que possibilita a troca de mensagens de cunho financeiro de forma padronizada", explicam.

Os bancos envolvidos na operação são associados à Anbima. São eles: Bradesco, Citibank, Itaú Unibanco, Santander (Brasil), BTG Pactual, BB Banco de Investimento, Deutsche Bank, HSBC, BNY Mellon Serviços Financeiros, Votorantim Asset Management DTVM, BNP Paribas Brasil e Caixa Econômica Federal. 

Mais conteúdo sobre:
Bancos Bolsa de valores Anbima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.