FABIO MOTTA|ESTADÃO
FABIO MOTTA|ESTADÃO

Petrobrás contrata 8 bancos para coordenar oferta de ações da BR Distribuidora

Distribuidora de combustíveis da Petrobrás deve lançar papéis no mercado em novembro

REUTERS

18 Agosto 2017 | 23h12

O Citigroup e outros sete bancos devem coordenar a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da BR Distribuidora, que deve ocorrer provavelmente em novembro, segundo uma pessoa com conhecimento direto do assunto.

A Petrobrás está avaliando se fará a listagem da BR Distribuidora em São Paulo e Nova York, onde um crescente número de investidores mostrou interesse na transação, afirmou a fonte, que pediu anonimato.

A estatal trabalha com a unidade de banco de investimento do Citigroup desde 2015, quando a ideia de fazer o IPO da BR Distribuidora começou a ser discutida. A Petrobrás deve vender uma participação de 30% a 35% da BR Distribuidora em novembro, na última janela para transações de ações do ano.

Além do Citi, a Petrobrás também deve envolver as unidades de banco de investimento do Bank of America, Morgan Stanley, JPMorgan, Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil, disse a fonte.

Representantes da Petrobrás, Morgan Stanley, Bank of America, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil preferiram não comentar o assunto. Os outros bancos não comentaram de imediato.

Ao listar a BR Distribuidora em mais de uma Bolsa, a Petrobrás pode aumentar a demanda pelos papéis e dar aos investidores mais alternativas de negociação.

Um IPO internacional da BR Distribuidora seria um teste do apetite de investidores internacionais pela subsidiária de distribuição de combustíveis após investigações relativas à corrupção contra a Petrobrás nos Estados Unidos.

Após uma série de interrupções nos últimos dois anos, a Petrobrás retomou o projeto do IPO em junho, para reduzir dívida e investimentos em atividades consideradas de baixo retorno.

A petroleira tem vendido ativos e cindido ativos para reduzir sua dívida, de US$ 95 bilhões, que é a maior entre as maiores empresas de petróleo do mundo.

A BR Distribuidora deve ser listada no Novo Mercado, o segmento de mais alta governança da B3.

Outra alternativa em avaliação seria listar a empresa apenas no Brasil, mas permitir investimentos internacionais por meio da regra 144A da Securities and Exchange Comission (SEC), o regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.