Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Brasil e Paraguai devem fechar fechar acordo automotivo em 2016

Economia & Negócios

EFE

Economia

Mercosul

Brasil e Paraguai devem fechar fechar acordo automotivo em 2016

Ministros pretendem concluir o entendimento até março; Paraguai é o único do Mercosul com o qual o Brasil não tem acordo no setor

0

Murilo Rodrigues Alves - enviado especial,
O Estado de S. Paulo

20 Dezembro 2015 | 15h02

ASSUNÇÃO - Brasil e Paraguai estão concluindo as negociações  para fechar um acordo de comércio do setor automotivo entre os dois países do Mercosul no primeiro trimestre de 2016. 

O anúncio foi feito neste domingo pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, e seu colega paraguaio, Gustavo Leite.

O Paraguai é o único dos países do Mercosul  com o qual o Brasil não tem acordo no setor automotivo. No início deste mês, o Brasil assinou um acordo de livre-comércio com o Uruguai, o primeiro desse tipo feito no Mercosul na área argentina. Com a Argentina, Colômbia e México, os acordos preveem a comercialização de veículos e peças com tarifas zero, mas limitada a diferentes tipos de acordo. 

"O acordo terá um grau de flexibilidade e de gradualismo tendo em vista as características do mercado paraguaio", explicou Monteiro, que prevê concluir o entendimento até março do ano que vem. O acordo em estudo não será de livre-comércio. O setor automotivo não é contemplado pelas regras de livre-comércio do Mercosul. As trocas são feitas a partir de acordos específicos. Segundo Monteiro, há expectativa de integração produtiva a partir desses acordos. 

"Nós celebramos a compreensão do governo brasileiro que o Paraguai tem um mercado diferente, com menor desenvolvimento. Vamos precisar de algum tempo, por isso é importante o gradualismo", disse Gustavo Leite.

Monteiro disse que o Brasil vai renovar o acordo automotivo com a Argentina, que vence em junho de 2016. "Temos expectativa de que alguns ajustes serão introduzidos no acordo", sugerindo que o governo brasileiro espera ampliar as regras de troca. A Argentina é o maior importador de veículos do Brasil. 

Mais conteúdo sobre:

Comentários