1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Brasil e Paraguai devem fechar fechar acordo automotivo em 2016

- Atualizado: 20 Dezembro 2015 | 15h 07

Ministros pretendem concluir o entendimento até março; Paraguai é o único do Mercosul com o qual o Brasil não tem acordo no setor

ASSUNÇÃO - Brasil e Paraguai estão concluindo as negociações  para fechar um acordo de comércio do setor automotivo entre os dois países do Mercosul no primeiro trimestre de 2016. 

O anúncio foi feito neste domingo pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, e seu colega paraguaio, Gustavo Leite.

O Paraguai é o único dos países do Mercosul  com o qual o Brasil não tem acordo no setor automotivo. No início deste mês, o Brasil assinou um acordo de livre-comércio com o Uruguai, o primeiro desse tipo feito no Mercosul na área argentina. Com a Argentina, Colômbia e México, os acordos preveem a comercialização de veículos e peças com tarifas zero, mas limitada a diferentes tipos de acordo. 

Ministros da área econômica se reuniram na 49ª Cúpula do Mercosul
Ministros da área econômica se reuniram na 49ª Cúpula do Mercosul

"O acordo terá um grau de flexibilidade e de gradualismo tendo em vista as características do mercado paraguaio", explicou Monteiro, que prevê concluir o entendimento até março do ano que vem. O acordo em estudo não será de livre-comércio. O setor automotivo não é contemplado pelas regras de livre-comércio do Mercosul. As trocas são feitas a partir de acordos específicos. Segundo Monteiro, há expectativa de integração produtiva a partir desses acordos. 

"Nós celebramos a compreensão do governo brasileiro que o Paraguai tem um mercado diferente, com menor desenvolvimento. Vamos precisar de algum tempo, por isso é importante o gradualismo", disse Gustavo Leite.

Monteiro disse que o Brasil vai renovar o acordo automotivo com a Argentina, que vence em junho de 2016. "Temos expectativa de que alguns ajustes serão introduzidos no acordo", sugerindo que o governo brasileiro espera ampliar as regras de troca. A Argentina é o maior importador de veículos do Brasil. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX