Bronzeadores caseiros devem ser evitados

Dermatologistas recomendam aos consumidores não comprar óleos bronzeadores e nem utilizar receitas caseiras de bronzeamento. Esses produtos representam risco à saúde e podem provocar queimaduras, alergias, manchas, bolhas e até tumores na pele. Outro procedimento que deve ser evitado no verão é o bronzeamento artificial. A dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e de Cirurgia Dermatológica, Dra. Maria de Fátima Fernandes explica que óleos bronzeadores são substâncias que aceleram a penetração dos raios solares na pele e só devem ser utilizados com recomendação médica. "Receitas caseiras de óleos feitas com derivado da pergamota, como o limão e o figo, contêm substâncias fototóxicas, que em contato com a luz do sol provocam queimaduras graves", explica. O principal alerta é para os riscos dos óleos e soluções de bronzeamento caseiros. "Utilizar substância não recomendada pode provocar queimaduras e alergias", avisa a Dra. Sandra Regina Garcia, dermatologista. Segundo a Dra. Maria de Fátima, utilizar produtos que aceleram o bronzeamento da pele é perigoso e coloca a saúde em risco. "Óleos e bronzeadores são substâncias aceleradoras que podem provocar envelhecimento precoce, queimaduras, manchas e o câncer de pele", alerta. Bronzeamento artificial é nocivo à saúde A médica avisa que o bronzeamento artificial é totalmente nocivo a pele. Além de provocar o envelhecimento precoce e câncer de pele, o processo realizado em câmaras de radiação pode provocar o descolamento da retina, avisa a dermatologista. "O bronzeamento artificial é totalmente contra-indicado, pois a radiação das máquinas penetra na camada mais profunda da pele, provoca o descolamento da retina e aumenta o risco de câncer", alerta.

Agencia Estado,

26 Dezembro 2001 | 18h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.