ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Cadastro positivo vai gerar crédito mais barato e de melhor qualidade, diz Meirelles

Ministro da Fazenda utilizou sua conta no Twitter para ressaltar que o atual sistema não considera os pagamentos feitos em dia, registrando apenas débitos e dívidas

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2017 | 14h51

BRASÍLIA - A implementação do cadastro positivo manterá protegidos os dados dos consumidores, assegurou nesta terça-feira, 24, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em seu perfil no Twitter. Segundo ele, nenhuma instituição financeira terá livre acesso às informações, apenas à nota de crédito que será concedida de acordo com seu histórico de pagamentos. "Na medida em que o novo cadastro for implantado, as taxas de juros cobradas das empresas e consumidores irão cair", disse o ministro.

Hoje, só há registro de débitos e dívidas, sem levar em conta o que as pessoas pagam em dia, destacou Meirelles. A criação do cadastro positivo ainda precisa ser aprovada pelo Senado e depois pela Câmara dos Deputados. Em 10 de outubro, o Senado encerrou sessão sem que houvesse quórum suficiente para apreciar a proposta, que requer 41 votos favoráveis.

Com a aprovação da medida, pessoas ou empresas que se mantiveram em dia com suas obrigações passarão a ter acesso a condições mais favoráveis de financiamento.

"A criação de um cadastro positivo vai gerar crédito mais barato, acessível e de melhor qualidade para os brasileiros", disse o ministro.

Mais conteúdo sobre:
Henrique Meirelles Twitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.