Cade aprova sem restrições compra da Etti pela Assolan

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira, sem restrições, a venda da marca Etti, da Parmalat Alimentos, para a Assolan, empresa do grupo Monte Cristalina. O negócio, formalizado em um contrato de compra e venda em janeiro deste ano, envolve a fábrica de atomatados da Parmalat localizada em Araçatuba (SP) e todas as linhas de produtos Etti, como os molhos prontos Salsaretti, catchup, condimentos, doces, geléias, legumes em conserva, extratos, polpas e purê de tomate. A operação tinha parecer favorável da Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) e da Secretaria de Direito Econômico (SDE). A Assolan atua, principalmente, nos setores de higiene pessoal e limpeza, e a Parmalat, nos setores da alimentos e bebidas. Por isso, segundo os órgãos de defesa da concorrência, não há riscos de sobreposição e concentração da concorrência com a fusão. A operação foi submetida ao Cade no dia 16 de fevereiro, cerca de quinze dias depois de ter sido homologada pelo juiz da 1ª Vara de Falências de São Paulo, Alexandre Lazzarini, já que a Parmalat está em recuperação judicial. A cláusula de não concorrência, pelo prazo de cinco anos, existente no contrato foi aceita pelo conselho. Com isso, a Parmalat Alimentos se comprometeu a não participar, direta ou indiretamente, durante o período de atividades que concorram com a Assolan.

Agencia Estado,

12 Abril 2006 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.