Caixa libera R$ 8,7 bi para destravar crédito imobiliário

Caixa libera R$ 8,7 bi para destravar crédito imobiliário

Dinheiro, redirecionado de outras operações, é destinado a famílias com renda de até R$ 4 mil, segmento que responde por 86% dos contratos

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2017 | 12h01

BRASÍLIA - A Caixa decidiu redirecionar R$ 8,7 bilhões em recursos disponíveis em várias linhas de crédito para o financiamento imobiliário. Os recursos estão disponíveis desde a última segunda-feira, 6, e são destinados às famílias com renda bruta de até R$ 4 mil, especialmente no programa Minha Casa, Minha Vida.

+ Caixa e BNDES buscam ajuda no FGTS

Os empréstimos que usam recursos da poupança, o chamado Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) - segmento bastante usado pela classe média - continuam paralisados por falta de dinheiro e só devem ser retomados em 2018.

+ Governo enfrenta resistência da Caixa e do BB com precatórios

Sob risco de descumprimento de regras internacionais do sistema financeiro de proteção a crises (acordo de Basileia), a Caixa vem negociando com o governo, nas últimas semanas, uma alternativa para elevar sua capacidade de concessão de créditos (funding) sem necessidade de aporte do Tesouro. 

+ Correios fecham parceria para oferecer conta pré-paga em SP

Em junho, a instituição chegou a suspender a oferta de uma das linhas de crédito imobiliário mais baratas do mercado: a que usa dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a chamada pró-cotista. Mesmo após a injeção de R$ 2,54 bilhões em dinheiro extra no mês anterior, o dinheiro acabou novamente e o banco suspendeu novos créditos para compra de imóveis de até R$ 950 mil.

Segundo a Caixa, o banco decidiu agora priorizar as operações de crédito para o segmento habitacional de menor renda, que responde por cerca de 86% dos contratos imobiliários da instituição. E destacou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não houve injeção de capital novo: o banco apenas redirecionou o dinheiro disponível que não havia sido usado em outras operações para famílias e empresas, como desconto de duplicatas e capital de giro.

Com o redirecionamento dos recursos, a Caixa espera “normalizar” a situação do financiamento imobiliário para as famílias que ganham até R$ 4 mil mensais. “Com essa suplementação, a Caixa garante recursos suficientes para normalizar o ritmo de contratações do Programa Minha Casa, Minha Vida”, citou o banco em nota.

Apesar da demanda nas agências e correspondentes da Caixa, esses financiamentos não estavam sendo aprovados pela falta de recursos. Exatamente por esse problema, o banco havia anunciado nos últimos meses restrições à concessão de novos financiamentos imobiliários.

O banco também anunciou que os pedidos de crédito imobiliário feitos até setembro e ainda não aprovados terão prazo extra - até o fim de novembro - para conclusão da tramitação.

Sobre as operações que usam recursos da poupança, a Caixa informa que não houve alteração e, diante do fim do dinheiro previsto para 2017, a linha de crédito só deve ser retomada no próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.