1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Carlsberg vê crescimento no mercado russo em 2012

Reuters

02 Janeiro 2012 | 18h 02

Depois de sofrer elevados impostos sobre cerveja e inflação alta, 4º maior cervejaria do mundo espera bons ventos na Rússia, que representa um terço das vendas do grupo

COPENHAGEN - A cervejaria dinamarquesa Carlsberg espera que o seu mercado-chave russo comece a se recuperar em 2012, mesmo que o declínio nos mercados da Europa Ocidental possa se intensificar nos próximos três anos com o aprofundamento da crise na Zona do Euro.

A quarta maior cervejaria do mundo afirmou que o mercado russo, que representa um terço das vendas do grupo, irá melhorar este ano, depois de sofrer elevados impostos sobre cerveja em 2010, inflação alta e questões regulatórias, disse o presidente-executivo Jorgen Buhl Rasmussen à Reuters em entrevista.

"Vemos nossa participação de mercado crescer na Rússia em 2012, como uma tendência de mercado", Rasmussen afirmou nesta segunda-feira. "O que aconteceu em 2011 e nos últimos dois ou três anos foi único", disse ele, se referindo ao aumento dos impostos, mercados de cerveja em queda e competição acirrada.

Para 2011, a Carlsberg espera que o mercado de cerveja na Rússia terá diminuído para um dígito porcentual, mas a recuperação em 2012 seria ajudada por uma economia russa mais saudável, disse.

No terceiro trimestre de 2011, o mercado russo de cerveja - o quarto maior do mundo depois da China, Estados Unidos e Brasil - caiu cerca de 7%, e a participação de mercado da Carlsberg para 37,8%, ante 39,3%.

"Na Europa Oriental, eu acredito... em algum ponto de 2012... nós vamos ver um pouco de crescimento no mercado geral de cerveja", disse Rasmussen.

Em outubro, a Carlsberg anunciou a substituição do presidente da unidade russa Baltika Breweries para lidar com o declínio do seu negócio.

Rasmussen afirmou que esperava que o novo chefe daquela unidade, Isaac Sheps, antes responsável pela Carlsberg Reino Unido, se mire em três principais áreas.

"Resultados, participação de mercado e geração de caixa", disse.

Europa obscura

Enquanto a Europa Oriental deve retornar a crescer este ano, a previsão para 2010 era mais obscura nos mercados mais maduros da Europa Ocidental e no Norte da Europa.

Cerca de metade dos lucros da Carlsberg vêm das duas regiões. A crise da dívida na Zona do Euro atingiu o sul, em países como Grécia, Itália e Espanha, ameaçando se espalhar para grandes economias na Europa do norte.

(Reportagem de Mette Fraende)

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo