1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Casas de ministros estão à venda

- Atualizado: 08 Março 2016 | 07h 41

Por duas casas, governo quer R$ 13 milhões

Casa que já foi ocupada por Dilma Rousseff está na lista de venda

Casa que já foi ocupada por Dilma Rousseff está na lista de venda

O governo publicou ontem edital para a venda de 57 imóveis da União, todos no Distrito Federal, que somam R$ 152,4 milhões. A concorrência será feita pela Caixa Econômica Federal e incluirá 24 apartamentos funcionais, 31 terrenos e as duas casas que eram ocupadas pelos ministros da Fazenda e da Casa Civil. O governo quer vender por pelo menos R$ 13 milhões as duas casas oficiais. A mais cara é a casa oficial do ministro da Fazenda, que tem preço mínimo de R$ 7 milhões. Em localização privilegiada, às margens do Lago Paranoá, o imóvel já foi ocupado por ministros como Antônio Palocci e Guido Mantega. Fica em um terreno de 2016 m² e tem 795 m² de área total.

O edital chama a atenção para o fato de o imóvel ter 374 m² a regularizar, mesmo sendo de propriedade da União. Na península dos ministros, onde fica a casa, é comum moradores invadam área pública para a construção de piscinas e decks.

Desde a entrada do ex-ministro Joaquim Levy na pasta, no início do ano passado, a casa não era ocupada. Na época, assessores próximos a Levy disseram que faltava manutenção à casa e que era necessária uma reforma que custaria no mínimo R$ 1 milhão. Levy passou o tempo no governo morando em um apart-hotel em Brasília. O atual ministro, Nelson Barbosa, que tem família em Brasília, preferiu continuar no apartamento em que já morava.

O imóvel que era destinado ao ministro da Casa Civil tem preço mínimo de R$ 6 milhões e já foi casa da própria presidente Dilma Rousseff quando ela ocupava o ministério. Na época, Dilma era vista com frequência caminhando na península dos ministros com um cachorro que havia ganhado do ex-ministro José Dirceu, que também foi morador do imóvel.

A casa está em um terreno de 1.800 m², tem área total de 793 m², três quartos, piscina, lavanderia e adega. Também possui 132m² de área não regularizada.

Em janeiro, o governo anunciou que venderia 239 imóveis em 21 estados. De acordo com o Ministério do Planejamento, outros editais ofertando os imóveis restantes serão divulgados até o fim de abril. O edital publicado ontem traz prazos e regras para a apresentação e propostas e o preço mínimo para a venda dos imóveis. A proposta de compra de imóvel deve ser entregue até 6 de maio.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX