Reprodução
Reprodução

Chico Buarque joga futebol com petroleiros e critica proposta de Serra para o pré-sal

Em vídeo divulgado na internet, Chico critica a 'cobiça permanente' em torno da Petrobrás e disse não acreditar que 'a sociedade aceite se desfazer do pré-sal'

Antonio Pita e Fernanda Nunes, O Estado de S. Paulo

15 Setembro 2015 | 17h40

RIO - Petista histórico e voz marcante também em relação às questões políticas do País, o cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda criticou nesta segunda-feira, 14, o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que prevê mudanças no marco regulatório do pré-sal.  Em vídeo divulgado na internet, Chico critica a "cobiça permanente" em torno da Petrobrás e disse não acreditar que "a sociedade aceite se desfazer do pré-sal".

"O petróleo é nosso. Esse é um velho lema que deve ser mantido e lembrado sempre, porque há uma cobiça permanente em torno da Petrobrás e, agora, com essa história toda em torno do pré-sal e de conquistas nossas, dos nossos governos desde os tempos de Getúlio, que volta e meia são ameaçadas por esse tipo de investida", afirmou o compositor.

 

Na segunda, o compositor recebeu petroleiros, sindicalistas e integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) para uma partida de futebol contra seu time amador, Politeama, no Rio. Em vídeo gravado pelo fundador e líder do movimento, João Pedro Stédile, Chico criticou a proposta de alteração do marco regulatório do Pré-sal, atualmente em tramitação no Congresso.

"Eu não acredito que passe um projeto desse no Senado (do senador José Serra) e não acredito que a sociedade vá aceitar se desfazer da Petrobrás, do pré-sal e tudo mais", afirmou o compositor.  

Veja o depoimento:  

O PL 131, de autoria de José Serra (PSDB-SP), retira da Petrobrás a obrigatoriedade de participação e investimento em todos os blocos do pré-sal, que poderiam ser concedidos integralmente à iniciativa privada. Pela atual legislação, a Petrobrás é obrigada a participar com 30% de todos os consórcios de blocos do pré-sal, além de ser operadora única de todas as áreas.

Sem grandes jogadas, a partida terminou empatada em 7 X 7. Após o jogo, o compositor gravou um vídeo em que apoia iniciativas e projetos sociais do MST ao lado de Stédile. Chico ainda autografou três DVDs de sua obra, a pedido de Stédile, que seriam entregues a "três amigos da Venezuela". Um dos presenteados, segundo o ativista, seria o presidente do país vizinho, Nicolás Maduro.

O compositor foi presenteado com uma cesta de produtos do MST, com uma bandeira e um boné do movimento, além de livros e uma cachaça orgânica. Chico também recebeu o emblemático uniforme dos funcionários da Petrobrás, um macacão laranja com a bandeira do País. "Vou usá-lo por aí", brincou, arrancando risadas dos petroleiros. 

Mais conteúdo sobre:
Petrobras José Serra Chico Buarque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.