1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Com investimento de R$ 610 milhões, Rio terá novo terminal portuário

- Atualizado: 05 Fevereiro 2016 | 14h 42

A Brasil Port Logística Offshore vai construir e explorar porto em São João da Barra; terminal será feito na área do Porto do Açu

O Porto do Açu hoje é administrado pela EIG Global Energy Partners LLC

O Porto do Açu hoje é administrado pela EIG Global Energy Partners LLC

BRASÍLIA - O governo federal decidiu autorizar a construção e exploração de um novo terminal portuário no Rio de Janeiro, num investimento na ordem de R$ 610 milhões. No próximo dia 15, o ministro da Secretaria de Portos da Presidência, Helder Barbalho, assinará o contrato que permitirá a empresa Brasil Port Logística Offshore a construir e explorar terminal portuário no município de São João da Barra, na região Norte do Rio de Janeiro.

O novo Terminal de Uso Privado (TUP) será feito na área de Porto do Açú, ambicioso empreendimento logístico elaborado por Eike Batista, e tocado na época pela sua empresa LLX Logística. Depois que as empresas de Eike desmoronaram e seu império bilionário se desfez, Porto do Açu passou para o controle da EIG Global Energy Partners LLC. A Prumo Logística, que é controlada pela EIG, hoje é quem administra o Porto do Açu. Eike detém apenas uma participação minoritária do empreendimento, que foi um de seus projetos mais ambiciosos.

Embora esteja dentro do Porto do Açu, a área que será utilizada para construir e explorar o novo terminal representa um projeto diferente dos que existem na região e com outros investidores à frente. Na prática, estarão sendo sublocados trechos em Açu que não estão sendo explorados para que o novo empreendimento possa ser implementado. A localização é considerada estratégica pela proximidade geográfica com os campos petrolíferos mais produtivos do País e por também ter bastante espaço para expansão, caso seja necessário.

Assim, os navios que aportarem no futuro terminal, vão utilizar o canal de acesso do Porto do Açu. mas as operações de embarque e desembarque serão feitas diretamente no porto privado que a Brasil Port vai construir no seu futuro terminal.

A expectativa é que o novo terminal movimente e armazene cerca de 609 mil toneladas de carga geral, 27 mil toneladas de granel sólido e 243 mil metros cúbicos de granéis líquidos por ano. As principais operações de transporte de cargas deverão incluir fluidos de perfuração, cimento, tubos, equipamentos diversos, diesel e lubrificantes. O terminal também será destinado para realizar manutenção e reparo de embarcações. Todo o local deverá ter cerca de 575 mil metros quadrados.

Dentro do governo, o setor é visto como muito atraente para trazer novos investimentos para ajudar a aquecer a economia do País. Embora a exploração de terminais não ajude tanto na geração de empregos, por conta de sua grande mecanização, a construção da obra física trará benefícios para a criação de postos de serviço.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX