JOSÉ MARIA TOMAZELA|ESTADÃO
JOSÉ MARIA TOMAZELA|ESTADÃO

Conab prevê safra recorde com 238,7 milhões de toneladas de grãos

Estimativa corresponde a um aumento de 27,9% sobre o período anterior; IBGE prevê número ainda maior, com 240,9 milhões de toneladas

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2017 | 14h00

A safra brasileira de grãos 2016/17 deve alcançar 238,7 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 27,9% - mais 52,1 milhões de toneladas - em relação à safra 2015/16. A área plantada é de 60,9 milhões de hectares, um crescimento de 4,4% na comparação com a safra 2015/16, mostra o 12º e último levantamento para o período da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta terça-feira, 12.

Os dados diferem da estimativa de agosto do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que prevê uma safra de 240,9 milhões de toneladas, com alta de 30,4% - ou 56,2 milhões de toneladas - em relação ao período anterior. A estimativa da área a ser colhida subiu 7%, para 61,1 milhões de hectares, frente à área colhida na safra 2015/2016, de 57,1 milhões de hectares. 

O instituto espera recordes na produção da soja e do milho, de 115 milhões de toneladas e 98,4 milhões de toneladas, respectivamente.

Segundo a Conab, a produção do milho primeira safra é de 30,46 milhões de toneladas, ou seja, um crescimento de 18,3% em relação à safra anterior. A colheita do milho segunda safra está em finalização, com estimativa de produção de 67,25 milhões de toneladas, o que significaria um aumento de 64,9%. 

Com isso, a safra total de milho em 2016/17 deve atingir 97,71 milhões de toneladas, representando aumento de 46,9% sobre a safra anterior.

A safra de soja, grão mais produzido no País, alcançou 114,07 milhões de toneladas, com crescimento de 19,5% ante a safra anterior, informa a Conab, em comunicado.

Para o algodão, as condições climáticas proporcionam uma boa safra para este ano, afirma a Conab. A colheita está próxima do término, com produção de 1,53 milhões de toneladas de pluma - que equivalem a um crescimento de 18,6% -, ou 2,3 milhões de toneladas de algodão em caroço.

No caso do arroz, condições climáticas favoráveis ao longo de todo o ciclo resultaram em 12,33 milhões de toneladas de produção, que representam um aumento de 16,3% sobre a safra anterior.

O feijão primeira safra tem produção de 1,36 milhão de toneladas, que representa uma alta de 31,6%. Na segunda safra, a produção de feijão chegou a 1,2 milhão de toneladas - um aumento de 31,6%. A colheita da terceira e última safra do período está em andamento, com previsão de produção de 836,3 mil toneladas, ou seja, mais 47,6% sobre o período anterior. A tendência se deve ao aumento de 17,2% da área plantada e de 26% da produtividade.

Houve uma redução de 9,5% na área semeada do trigo, relata a Conab. A produção do cereal deve atingir 5,19 milhões de toneladas, queda de 22,9% ante a safra do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.