1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Conta de luz fica mais barata a partir desta terça-feira

- Atualizado: 01 Março 2016 | 10h 35

Com a nova bandeira amarela, o acréscimo a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos passa a ser de R$ 1,50, e não mais R$ 3

SÃO PAULO - A partir desta terça-feira, 1º, as contas de luz dos brasileiros ficam mais baratas. O motivo é a mudança da bandeira tarifária, que deixa de ser vermelha para ficar amarela, conforme previsto pelo Ministério de Minas e Energia. Com isso, o acréscimo a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos passa de R$ 3 para R$ 1,50. 

Em abril, bandeira tarifária de contas de luz passará a ser verde e não haverá mais cobrança extra a cada 100 kWh

Em abril, bandeira tarifária de contas de luz passará a ser verde e não haverá mais cobrança extra a cada 100 kWh

Desde janeiro de 2015, as faturas de energia elétrica sinalizam ao consumidor quando o fornecimento é mais caro e, desde então, essa é a primeira vez que a bandeira deixa de ser vermelha. A sinalização adotada utiliza três cores: vermelha, quando o acréscimo é de R$ 3,00 a cada 100 kWh na primeira faixa, e de R$ 4,50 na segunda; amarela, que acrescenta R$ 1,50; e verde, que indica a ausência da cobrança extra. 

Sinal verde. Em fevereiro deste ano, o ministro Eduardo Braga anunciou que, a partir de 1º de abril, as contas de luz de todo o País trarão a bandeira verde, o que significa que a cobrança extra pelo uso de energia termelétrica vai acabar. Com isso, os consumidores terão uma redução média de 6% a 6,5% na conta de luz, disse o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino. 

Veja dicas para economizar na conta de energia elétrica
Estadão
Veja dicas para economizar na conta de energia elétrica

Como fazer para poupar energia e gastar menos com a conta de luz? Em tempos de crise, a mudança em algumas atitudes pode fazer a diferença na fatura do mês. Confira as dicas da Proteste e do engenheiro eletricista Luciano Carstens, diretor do Núcleo de Ciências Tecnológicas e Exatas da Universidade Positivo.

O aumento de chuvas em 2015 melhorou o volume dos reservatórios das hidrelétricas e o governo decidiu desligar mais 15 usinas térmicas no início deste mês. Sem esses empreendimentos, será possível poupar cerca de R$ 8 bilhões por ano, já que a energia gerada pelas usinas térmicas é mais cara. 

"A evolução positiva do período úmido de 2016, que recompõe os reservatórios das hidrelétricas, aliada a aumento de energia disponível, redução de demanda e adição de novas usinas ao sistema elétrico brasileiro, possibilitou a mudança das bandeiras tarifárias nos últimos meses", publicou a Aneel. 

Braga afirmou , porém, que a cobrança das bandeiras na conta de luz poderá voltar “se houver um desastre”. “A razão de termos esse regime é termos flexibilidade para administrar melhor o custo para a tarifa. Essa gestão continua sendo feita mensalmente”, disse o ministro no final do mês passado.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX