José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Conta de luz vai ficar em média 4,48% mais cara na Grande SP

Novas tarifas vigoram a partir de 4 de julho; mudança atinge 6,9 milhões de pontos na grande São Paulo

Anne Warth, O Estado de S.Paulo

27 Junho 2017 | 16h54

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 27, um reajuste médio de 4,48% nas tarifas da Eletropaulo. Para consumidores conectados à alta tensão, como indústrias, o aumento será de 2,37%, e para a baixa tensão, casas e unidades de comércio, a alta será de 5,37%.

As novas tarifas vigoram a partir de 4 de julho. A concessionária Eletropaulo atende a 6,9 milhões de unidades consumidoras em São Paulo e na Região Metropolitana. 

Inflação. Para o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), André Chagas, o reajuste médio de 4,48% nas contas da Eletropaulo deve ter impacto de até 0,15 ponto na inflação da capital paulista.

Ele calcula que o impacto deve ser sentido a captado pelos índice de monitoramente de preços de agosto, porém, não deve mudar a dinâmica de queda de inflação esperada para este ano. "É um impacto marginal. Energia elétrica está oscilando tanto - uma hora vem com alta e outra com baixa -, mas será insuficiente para modificar a tendência de desaceleração do IPC", afirma.

Mais conteúdo sobre:
Eletropaulo Conta de Luz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.