1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Contas do governo central têm déficit de R$ 25 bi em fevereiro

- Atualizado: 29 Março 2016 | 19h 10

É o maior rombo para o mês desde o início da série histórica, em 1997; receitas tiveram queda real (descontada a inflação) de 11,4% ante mesmo mês do ano passado e as despesas, alta de 8%

Com a atividade econômica e o pagamento de tributos em queda, o governo central registrou em fevereiro um resultado deficitário de R$ 25,070 bilhões, o pior desempenho para meses de fevereiro da série histórica, que tem início em 1997. O resultado reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central. 

Com isso, o resultado primário no primeiro bimestre foi deficitário em R$ 10,273 bilhões, também o pior registrado na série histórica. Até agora, apenas no ano de 1997 houve déficit primário no primeiro bimestre, de R$ 329 milhões. 

No primeiro bimestre do ano passado, o primário acumulava superávit de R$ 2,989 bilhões. Em 12 meses, o governo central apresenta déficit de R$ 131,85 bilhões - o equivalente a -2,22% do PIB. 

Com dificuldades de cortar despesas e com a arrecadação em queda, o governo enviou ao Congresso Nacional na semana passada um projeto de lei reduzindo a meta de superávit do governo central de R$ 24 bilhões para R$ 2,8 bilhões e permitindo uma série de abatimentos que, na prática, podem resultar em um déficit primário de R$ 96,6 bilhões neste ano, o que será o terceiro resultado negativo seguido. 

 

Receitas. O resultado de fevereiro representa uma queda real de 11,4% nas receitas em relação a fevereiro do ano passado. As despesas tiveram alta real de 8%.

Até fevereiro, as receitas do governo central recuaram 3,8% e as despesas aumentaram 5,7%.

O déficit em fevereiro foi maior do que as expectativas do mercado financeiro - levantamento realizado pelo AE Projeções com 20 instituições mostrou um intervalo das expectativas de um déficit entre R$ 3,400 bilhões a R$ 20,390 bilhões, com mediana negativa em R$ 14 bilhões.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX