1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Copa e crédito restrito prejudicam a venda de automóveis no 1º semestre

Beatriz Bulla - Agência Estado

02 Julho 2014 | 15h 29

Barreira do crédito puxou para baixo o desempenho do setor, que deve perder um mês de vendas por causa do mundial de futebol e encerrar 2014 com recuo de 7,75%

A Copa do Mundo e o crédito mais restrito prejudicaram as vendas de automóveis nesta ano, avaliou o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Flávio Meneghetti. Só no primeiro semestre, ante igual período do ano passado, a queda nas vendas totais do setor chega a 6,54%. "Imaginávamos que a Copa fosse afetar o mercado, mas não tão drasticamente como está afetando". De acordo com ele, o evento deve gerar perda de um mês nas vendas entre junho e julho. 

No entanto, o que puxou as vendas para baixo de fato no semestre foi o crédito, avalia Meneghetti. "A barra do credito foi erguida por parte do segmento bancário em função da inadimplência", completou. "O aumento da taxa de juros, somado à restrição de crédito, também dificultou o acesso", completou.

Ele mencionou também a recomposição gradual do IPI para automóveis que aconteceu em janeiro. Apesar do aumento da alíquota ter ocorrido durante o primeiro semestre, o imposto só atingiria seu montante total anterior à desoneração concedida pelo governo a partir de 1º de julho. Mas, na segunda-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou a manutenção do IPI para automóveis nos níveis atuais até 31 de dezembro.

Prorrogação do IPI contribui para não piorar o quadro, diz Meneghetti, da Fenabrave

A prorrogação do IPI, na avaliação de Meneghetti, "contribui para não piorar o quadro". "Se a alíquota viesse para níveis normais, plenos, chegaríamos a um preço que o mercado não teria condições de absorver", afirmou. A expectativa, no entanto, é de que não haja uma nova prorrogação do benefício no início do ano que vem. "A partir de janeiro, com um governo novo, havendo ou não alternância de poder, de qualquer forma existe hiato. Certamente o imposto vai aumentar."

A Fenabrave prevê uma queda de 7,75% nas vendas de automóveis e comerciais leves. "Vamos ter reposição de frotas pós Copa e o segundo semestre vai ser marcado por lançamentos, além da questão da manutenção do IPI até dezembro", disse.

No entanto, destaca Meneghetti, o segundo semestre do ano passado foi muito forte em vendas, o que gera uma queda na comparação entre os períodos.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo