Assine o Estadão
assine

Economia

Comércio

Crise econômica acabou com 100 mil lojas no ano passado

Estudo da CNC mostra que o desempenho do setor foi influenciado pela queda do volume de vendas do varejo

0

Daniela Amorim,
O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2016 | 05h00

RIO - O cenário de recessão fez quase 100 mil lojistas encerrarem as atividades no País em 2015, segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O mau desempenho desses comerciantes foi consequência da queda no volume das vendas no varejo, que deve ter registrado no ano passado o pior nível dos últimos 15 anos.

“Foi uma crise generalizada, que não poupou ninguém no ano passado, e que deixa uma herança negativa para 2016. Porque, começando o ano com 95 mil lojas menos, a chance de ter uma recuperação das vendas é muito remota”, observou o economista Fabio Bentes, da Divisão Econômica da CNC.

O estudo mostra o fechamento de 95,4 mil lojas com vínculo empregatício no ano passado, uma retração de 13,4% nos estabelecimentos comerciais que empregam ao menos um funcionário. “O número de lojas diminuiu de 713 mil ao fim de 2014 para 617 mil ao fim de 2015. É uma queda muito forte, o primeiro recuo anual da série histórica iniciada em 2005.”

Os números têm como base os dados de dezembro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Todos os segmentos registraram queda, mas os mais prejudicados foram os mais dependentes das condições de crédito: materiais de construção (-18,3%), informática e comunicação (-16,6%), móveis e eletrodomésticos (-15%) e automóveis (-14,9%).

Mais conteúdo sobre:

Comentários