1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Demanda por voos domésticos tem queda de 3,79% em janeiro

- Atualizado: 26 Fevereiro 2016 | 12h 49

Oferta, medida em assentos-quilômetros, também teve recuo; demanda doméstica completa seis meses consecutivos de redução

Gol registrou a maior participação no mercado doméstico em janeiro

Gol registrou a maior participação no mercado doméstico em janeiro

SÃO PAULO - A demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros, medida em passageiros-quilômetros pagos transportados (RPK), registrou queda de 3,79% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2015, segundo dados compilados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Com isso, a demanda doméstica completou seis meses consecutivos de redução.

Já a oferta, medida em assentos-quilômetros oferecidos (ASK), teve recuo de 2,16% no mês passado, na mesma base de comparação. Com isso, a taxa de ocupação das aeronaves em voos domésticos (RPK/ASK) atingiu 83,1% em janeiro do ano passado, índice inferior ao registrado no mesmo mês de 2014, quando a taxa de ocupação doméstica ficou em 84,5%.

De acordo com a Anac, a Gol registrou a maior participação no mercado doméstico em janeiro, com uma fatia de 38,3%. Em sequência, aparecem TAM, com 34,1%, Azul, com 17,1%, e Avianca, com 9,7%. O número de passageiros pagos transportados no mercado doméstico em janeiro atingiu 8,9 milhões, queda de 4,7% em relação ao mesmo mês de 2015.

Internacional. No segmento internacional, a demanda (em RPK) por transporte aéreo de passageiros das empresas brasileiras cresceu pelo 23º mês consecutivo, com alta de 6,63% em janeiro de 2016 frente o mesmo mês de 2015.

Já a oferta internacional (em ASK) registrou o 18º mês consecutivo de expansão, com alta de 6,24% ante janeiro do ano passado. Com isso, a taxa de aproveitamento das aeronaves nos voos internacionais operados pelas aéreas brasileiras alcançou 84,9% em janeiro de 2016, ante 84,6% no mesmo mês de 2015.

Em participação de mercado, a TAM seguiu isolada na liderança em janeiro, com 73,7%, enquanto a Gol respondeu por 13,2% e a Azul ficou com 13%.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX