JOSÉ MARIA TOMAZELA/ESTADÃO
JOSÉ MARIA TOMAZELA/ESTADÃO

Depois de supersafra em 2017, campo deve registrar queda de produção de 6% neste ano

Segundo IBGE, produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve totalizar 226,1 milhões de toneladas, uma redução de 14,5 milhões de toneladas em relação aos 240,6 milhões de toneladas de 2017

O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018 | 13h49

A primeira estimativa para a safra nacional de 2018, feita em janeiro, é de queda de 6% em relação ao ano anterior. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve totalizar 226,1 milhões de toneladas, uma redução de 14,5 milhões de toneladas em relação aos 240,6 milhões de toneladas de 2017. 

A previsão é do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgada nesta quinta-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A estimativa da produção aumentou 0,8%, totalizando 224,3 milhões de toneladas. Os três principais produtos deste grupo, que são arroz, milho e soja, representaram 92,8% da estimativa da produção e respondem por 86,8% da área a ser colhida.

Na comparação com 2017, houve acréscimo de 2% na área da soja e reduções de 7,1% na área do milho e de 3,3% na área de arroz. Na produção, a previsão é de decréscimos de 2,2% para a soja, 13,8% para o milho e 5,7% para o arroz.

A Região Centro-Oeste é a maior produtora de cereais, leguminosas e oleaginosas, com 97,4 milhões de toneladas, seguida das regiões Sul (79,7 milhões de toneladas), Sudeste (22,0 milhões de toneladas), Nordeste (18,7 milhões de toneladas) e Norte (8,4 milhões de toneladas). Na comparação com a safra passada, houve aumento de 4,4% no Nordeste e queda nas outras regiões, com 8,1% no Centro-Oeste, de 5,1% no Sul, de 7,9% no Sudeste e de 5,8% no Norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.