Gil Leonardi/Imprensa MG - 18/8/2017
Gil Leonardi/Imprensa MG - 18/8/2017

Deputado diz que MG quer R$ 2 bi para compensar leilão da Cemig

Fábio Ramalho, vice-presidente da Câmara, pediu que parte do dinheiro arrecadado com o leilão das usinas que eram operadas pela Cemig sejam investidas no Estado

Isadora Peron e Igor Gadelha, Broadcast

03 Outubro 2017 | 16h29

BRASÍLIA - Vice-presidente da Câmara, o deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG) afirmou nesta terça-feira, 3, que a bancada do Estado vai enviar uma carta ao presidente Michel Temer pedindo para que parte do dinheiro arrecadado com o leilão das usinas que eram operadas pela Cemig seja investido em Minas Gerais.

Segundo Fabinho, como o deputado é conhecido, a ideia é que pelo menos R$ 2 bilhões dos R$ 12,1 bilhões arrecadados pelo governo com a venda das quatro usinas sejam revertidos em obras em áreas como saúde, saneamento e revitalização dos rios no Estado.

O vice-presidente da Câmara evitou falar em retaliação caso o Palácio do Planalto não aceite o acordo, mas afirmou que, se isso acontecer, haverá reflexos na relação da bancada com o governo. "O recado vai ser dado em todas as votações. O governo deve muito a Minas", disse o deputado.

+ CELSO MING: Como avaliar estes leilões

O assunto foi discutido em um almoço na Câmara, do qual também participou o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT). Os deputados vão redigir a carta, que deve ser entregue a Temer depois do feriado de 12 de outubro.

Pimentel concordou com a iniciativa e disse que a bancada deve listar na carta todas as demandas do Estado que estão pendentes no governo. "A verdade é que governo Temer está devendo muito para a gente. Independente dessa questão das usinas, já estava devendo. Mais um motivo para a gente cobrar", disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.