'Dívida do BNDES deve ser paga agora’, afirma Bráulio Borges

“Temos de pensar estratégias para reduzir a dívida bruta que não passem necessariamente pelo fiscal. Não estou falando de maquiagem ou de contabilidade criativa. Um exemplo: acelerar o pagamento da dívida que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tem com o Tesouro Nacional. Ele deve o equivalente a 9% do PIB (Produto Interno Bruto) por causa de empréstimos feitos entre 2008 e 2014. Hoje, a amortização dessa dívida está prevista para ocorrer entre 2020 e 2060. Isso não causa impacto no primário, mas reduz a dívida bruta, porque é receita financeira, não primária. O BNDES pode acelerar o pagamento da dívida porque, na BNDESPar, tem quase 1,5% do PIB em ativos, com participação em empresas, e uma carteira de crédito enorme, de 11,5% do PIB. Parte dela pode ser utilizada para levantar receita e pagar o Tesouro.” 

O Estado de S. Paulo

12 Setembro 2015 | 22h00

Bráulio Borges é economista-chefe da consultoria LCA 

Mais conteúdo sobre:
Rebaixamento crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.