Dólar cai em dia de pouquíssimos negócios

Num dia sonolento de operação em regime de plantão na véspera de Natal, os mercados de dólar e juros registraram poucos negócios. As cotações do dólar caíram, em grande parte por causa da venda diária do Banco Central de US$ 50 milhões, que foi instituída em setembro para controlar a alta da moeda norte-americana e será abandonada essa semana. Com pouquíssimas transações, qualquer negócio tem um efeito forte sobre as cotações. Ainda assim, as oscilações foram muito pequenas e mostraram mais uma vez que os investidores já incorporaram a derrocada argentina nos preços dos ativos há meses e não se abalam mais. Isso não quer dizer que o mercado aprove as medidas populistas do presidente interino, que elevou o salário mínimo de US$ 250 para US$ 450 na iniciativa privada e US$ 550 no setor público, decretou a moratória da dívida e a criação de uma nova moeda, incorporando os diversos títulos provinciais em circulação. Abriu-se a brecha para a emissão monetária, o que enterra definitivamente a conversibilidade. Como haverá muito dinheiro em circulação sem lastro em dólares, como determina a lei que instituiu a paridade do peso com a moeda norte-americana, será muito difícil suspender as restrições aos saques bancários e remessas ao exterior ou mesmo dolarizar a economia. Analistas consideram que a desvalorização e flutuação cambial será inevitável, mas ainda não se sabe quando. A torcida é que o atual sistema agüente até as eleições de 3 de março, quando será escolhido novo presidente para cumprir o mandato de Fernando de la Rúa, até o final de 2003. De qualquer forma, ao que tudo indica, o mercado brasileiro está indiferente. Fechamento dos mercados O dólar comercial para venda fechou em R$ 2,3350, com queda de 0,26%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 20,100% ao ano, frente a 20,140% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não funcionou. Na Argentina, ainda vigora o feriado cambial e bancário e os mercados não abrem desde quinta-feira. Ainda não se sabe se funcionarão na quarta-feira. E, nos Estados Unidos, as bolsas abriram há pouco em leve alta. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -, em alta de 0,13% e o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York -, em alta de 0,07%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

24 Dezembro 2001 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.