Dólar sustenta queda e é cotado a R$ 2,34

O mercado inicia a semana seguindo a trajetória de queda do dólar e dos juros e estabilidade no mercado acionário. O recuo é atribuído à expectativa de continuidade de entradas fortes de recursos e foi intensificada pelas declarações do presidente do Banco Central, Armínio Fraga, que na sexta-feira disse que a taxa cambial ainda está depreciada. A interpretação do mercado foi de que o BC confia que as entradas continuarão fortes nas próximas semanas. Em decorrência disso - e de outras declarações feitas anteriormente pelo presidente do BC - os analistas estão concluindo que as vendas diárias de US$ 50 milhões no mercado a vista serão suspensas em 2002. Também estão avaliando que o BC deixará de rolar, pelo menos parcialmente, os vencimentos de títulos cambiais curtos, a partir de fevereiro próximo. Além disso, a queda do dólar se sustenta pela crença de que os riscos Brasil e Argentina estão cada vez mais isolados um do outro. O regime de conversibilidade cambial agora só existe no papel. Na prática, os argentinos já desvalorizaram o peso, apesar de o ministro Domingo Cavallo insistir nesse modelo cambial. As informações sobre a conclusão da reunião que Cavallo teve com o FMI não chamaram a atenção do mercado. O FMI pediu mais um ajuste fical de US$ 4 bilhões à Argentina e os investidores não acreditam que ele será feito. "O mercado já viu esse filme e conhece o final. Mais um adiamento na solução para a economia do país vizinho", sentencia um especialista. O desfecho na Argentina, finalmente, pode estar bem próximo. Até o final do mês, o país tem uma dívida de US$ 1,5 bilhão para pagar, dos quais boa parte, US$ 744,5 milhões estarão vencendo na próxima sexta-feira, dia 14. Na avaliação de muitos analistas, a solução para a Argentina é a desvalorização formal da economia seguida de dolarização. Números do mercado Há pouco, o dólar comercial para venda estava cotado em R$ 2,3420, com queda de 2,13%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano -pagavam juros de 20,600% ao ano, frente a 21,830% ao ano de sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em queda de 0,26%. O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires apontava queda de 5,05%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em queda de 0,46%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - operava em queda de 0,53%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

10 Dezembro 2001 | 15h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.