Lucas Lacaz Ruiz
Lucas Lacaz Ruiz

Dono do Outback, grupo americano lança no País nova rede de restaurantes

Bloomin’ Brands vai abrir na próxima semana a 1ª unidade do Mexcla, rede criada para agradar latino-americanos e asiáticos e que deve concorrer com marcas como Spoleto; com receita global de US$ 4,4 bi, grupo cresce 20% ao ano no Brasil em total de lojas

Marina Gazzoni, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2015 | 05h00

O Brasil será o primeiro país a testar uma nova rede de restaurantes criada pelo grupo americano Bloomin’ Brands, dono do Outback. A companhia vai abrir na próxima terça-feira no shopping Eldorado, em São Paulo, a primeira unidade da marca Mexcla, um restaurante de comida saudável inspirado na culinária mexicana. Diferente das outras quatro redes de restaurantes do grupo, a Mexcla ficará na praça de alimentação dos shoppings centers e não terá garçons.

A Mexcla é a segunda marca lançada pelo grupo Bloomin’ Brands no Brasil este ano. Em janeiro, o grupo escolheu o Brasil para abrir a primeira unidade fora dos Estados Unidos do seu restaurante italiano, o Carrabba’s, que foi rebatizado de Abbraccio. Em março do ano que vem, o grupo abrirá no Brasil a primeira unidade da Fleming’s, um restaurante de alto padrão focado em carnes e vinhos. As novas marcas chegam após o grupo comprar o controle da operação do Outback em Brasil, em novembro de 2013, dos seus parceiros locais. O empresário Salim Maroun trouxe a marca Outback para o Brasil em 1997.

O Mexcla foi criado para agradar os consumidores latino-americanos e asiáticos, mercados-alvo da Bloomin’ Brands no seu plano de expansão fora dos Estados Unidos. Os estudos para a criação da nova rede de restaurantes foram iniciados pelo então diretor de novos negócios do grupo, o americano Ryan Trierweiler, há mais de um ano. Ele se mudou para o Brasil em agosto e assumiu o cargo de presidente da Mexcla.

Segundo Trierweiler, a escolha do Brasil como o primeiro país a receber a nova marca foi definida a partir de estudos de mercado. “As pesquisas com consumidores indicaram que o número de pessoas no Brasil que querem uma opção mais saudável de refeição com a conveniência do fast food é próximo de 100%”, afirmou. O Mexcla será um restaurante “fast casual”, o mesmo posicionamento da rede Spoleto – ambas preparam a refeição na hora. Trata-se de um serviço intermediário entre o fast food e o casual dining, conceito em que se enquadram redes como Outback e America.

Crise. Trierweiler reconhece que a crise pode reduzir a disposição do brasileiro em gastar, mas diz que o cliente deve priorizar redes com um melhor custo-benefício. Maroun, que hoje lidera o grupo Bloomin’ Brands no Brasil, diz que manterá a expansão de 20% ao ano no número de lojas. Hoje, o Outback tem 75 unidades no País, e o Abraccio tem três. A meta é ter dez unidades do Mexcla em 2016.

“Sempre defendi que o mercado brasileiro é estável. Honestamente, não estamos em posição de reclamar”, disse Maroun ao Estado. Segundo ele, o Outback não perdeu clientes, mas o valor médio da conta diminuiu. “Eles compartilham mais os pratos. Mas o importante é que continuam na nossa loja.”

O faturamento dos restaurantes deverá registrar queda de 4% a 5% acima da inflação neste ano e de 5% a 6% no ano que vem, segundo projeções do sócio-fundador da Food Consulting, Sergio Molinari. “A renda e o emprego do brasileiro caíram. A redução do consumo é inevitável”, disse. “Não faz sentido abrir um restaurante pensando no curto prazo.”

O consultor destaca que as grandes redes pensam no longo prazo. Esses grupos devem aproveitar a crise para negociar contratos de aluguéis em bons pontos comerciais. Além disso, Molinari destaca que há poucas opções de oferta no Brasil em segmentos específicos, como o casual dining e o fast casual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.