Reuters
Reuters

Economias emergentes dão sinais de desaceleração, aponta OCDE

De acordo com a organização internacional, economia chinesa está perdendo força; Brasil e Rússia mostram fraqueza

Agências Internacionais

08 Setembro 2015 | 09h23

A economia da China está perdendo força e outras grandes economias emergentes como Brasil e Rússia também estão mostrando sinais de fraqueza, disse a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento ou Econômico (OCDE) nesta terça-feira.

Em países como Estados Unidos, Reino Unido e Canadá,  o crescimento também está diminuindo, embora de níveis relativamente altos para economias avançadas.

Os indicadores antecedentes dos países da OCDE apontam recuou de 100,1 em junho para 100,0 em julho. No caso brasileiro, o número diminuiu de 98,9 para 98,7 nesse período. O indicador abaixo de 100 aponta para desaceleração econômica.

Caso as previsões se confirmem, isso pode significar mais um ano desapontador para a economia global, que luta para se recuperar dos efeitos da crise financeira de 2008. 

Num encontro em Ancara, na Turquia, na sexta-feira e no sábado, ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do G-20 afirmaram que a expansão econômica até agora neste ano "fica abaixo das nossas expectativas". "Nos comprometemos a adotar ação decisiva para manter a recuperação econômica nos trilhos e estamos confiantes de que a recuperação global econômica ganhará velocidade", afirmaram as autoridades em comunicado.

Mais conteúdo sobre:
OCDE Brasil China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.