Reprodução
Reprodução

Economista do RBS apelida momento do Brasil de 'crise da caipirinha'

O apelido parece inspirado na crise econômica que atingiu o México em 1994 e ficou conhecida como 'efeito tequila'

Fernando Nakagawa, O Estado de S. Paulo

24 Setembro 2015 | 14h28

LONDRES - A rapidez da deterioração do quadro econômico do Brasil e a desvalorização acelerada do real chamam atenção dos analistas internacionais que começam a tentar apelidar o momento brasileiro. Nesta manhã, o chefe de pesquisa de crédito macro do Royal Bank of Scotland (RBS), Alberto Gallo, usou o Twitter para apelidar o momento que atinge o Brasil como a "crise da caipirinha".

Assim como outros economistas, Gallo vem alertando clientes sobre a piora das condições do Brasil. Em julho, o analista produziu uma análise sobre o País com o título parcialmente em português "Brazil: from Samba to Saudade". No documento, dizia que "o pior ainda está por vir" para os brasileiros diante da deterioração dos fundamentos macroeconômicos.

O apelido da "crise da caipirinha" parece inspirado na crise econômica que atingiu o México em 1994, quando o país registrou forte desvalorização do peso e sofreu com a saída de estrangeiros. O chamado "efeito tequila" atingiu vários países, inclusive o Brasil. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.