Em dia de decisão do Copom, Bolsa fecha em nível recorde

O mercado de juro futuro encerrou o dia com a perspectiva de que a Selic, a taxa básica de juros da economia, pode cair para 18,25% ao ano. Hoje a taxa está em 19% e o Comitê de Política Monetária (Copom) encerra sua reunião mensal para reavaliação do juro. No encerramento, as taxas pós-fixadas para dezembro de 2005 fecharam em 18,47% ao ano, embutindo pouco mais de 0,5 ponto de corte. As apostas também levaram o giro financeiro deste mercado a encerrar o dia com forte volume. Os contratos com taxas pós-fixadas (DIs), com vencimento em dezembro de 2005, acumularam 1,225 milhão de contratos negociados. Os papéis com vencimento em janeiro de 20 somaram 606 mil contratos. Para se ter uma idéia, em dias de forte movimento, os títulos mais negociados somam apenas 250 mil contratos. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) se antecipa e comemora a possibilidade de uma redução maior dos juros. O fechamento em pontos do Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - foi hoje um recorde histórico. Com a alta de hoje, de 1,44%, o índice fechou em 31.942 pontos, o maior nível desde 3 de outubro, quando o indicador encerrou em 31.856 pontos. O mercado também comemorou o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ministro da Fazenda, Antônio Palocci. Segundo ele, Palocci é "imprescindível" e ficará no cargo "até o fim do governo". Mesmo assim, há quem aposte que Palocci não suportará a série de denúncias e deixará o governo antes de dezembro de 2006. Mas, por enquanto, o mercado trabalha com a possibilidade de sua permanência. E comemora esse fato. O dólar comercial fechou nesta quarta-feira, dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), em queda de 0,27% em relação aos últimos negócios de ontem, cotado a R$ 2,2410 na ponta de venda das operações. Mais uma vez o Banco Central atuou no mercado de câmbio e comprou dólar à taxa de corte de R$ 2,2370. As instituições apresentaram 21 propostas a taxas entre R$ 2,2360 e R$ 2,2390 e o BC aceitou 11 propostas, segundo um operador.

Agencia Estado,

23 Novembro 2005 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.