Estadão
Estadão

Vice-presidente da UE é fotografado comendo carne no DF

Proteína bovina é justamente um dos produtos que emperram o fechamento do pacto de livre comércio

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2017 | 19h58

BRASÍLIA - Em visita ao Brasil para dar um empurrão político às negociações do acordo de livre comércio com o Mercosul, o vice-presidente da União Europeia, o finlandês Jyrki Katainen, fez questão de almoçar numa churrascaria e se deixou fotografar servindo-se de picanha brasileira. A carne bovina é justamente um dos produtos que emperram o fechamento do acordo. O outro é o etanol combustível e para uso industrial. O álcool estava presente à mesa, na forma de caipirinha, igualmente degustada por ele. 

“Estava excelente”, disse ele ao Estadão/Broadcast. “Comi uns dois quilos e vou descontar da cota.” Os europeus ofereceram para o Mercosul uma cota anual de 70.000 toneladas de carne, quando o mínimo esperado eram 100.000 toneladas. 

“Fizemos uma degustação cega de carnes do Mercosul”, brincou o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, anfitrião do almoço. De acordo com informações do staff do restaurante, foram servidos cortes produzidos no interior paulista, na Argentina e na Patagônia chilena. 

++ Proposta europeia dificulta acordo com Mercosul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.