Empréstimos a distribuidoras levarão a alta na tarifa da energia

Claudio Sales, presidente da Acende Brasil, prevê aumento de 11% em 2015

Álvaro Campos, O Estado de S. Paulo

05 Agosto 2014 | 17h16

SÃO PAULO - O presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales, afirmou há pouco, durante o Fórum Estadão sobre infraestrutura, que os empréstimos feitos às distribuidoras de energia elétrica este ano devem significar um aumento adicional de 11% nas tarifas em 2015, fora o reajuste anual normal.

Ele explica que as distribuidoras receberam R$ 10,6 bilhões do Tesouro e mais R$ 17,7 bilhões de um pool de bancos privados, totalizando quase R$ 28,4 bilhões. Em uma conta rápida, Sales explicou que cada R$ 1 bilhão equivale a um aumento de 1% nas tarifas, mas como o reajuste será repassado aos consumidores ao longo de quase três anos, o de 2015 deve ficar perto dos 11% citados.

O especialista aponta que a crise no setor é resultado de diversos fatores, como as condições climáticas adversas, a descontratação de diversas empresas e condições estabelecidas na MP 579, de 2012. Nesse cenário, a pressão sobre as distribuidoras, que tiveram de comprar energia mais cara no mercado à vista, superou muitas vezes a capacidade de geração de caixa dessas companhias.

Mais conteúdo sobre:
foruns estadao brasil 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.