Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Estado do Rio pagará salários atrasados de abril a partir de amanhã

De acordo com o secretário de Estado da Casa Civil, além da primeira parcela dos salários de abril, serão pagos o salário integral de junho dos funcionários da área de segurança e educação

Vinicius Neder, Broadcast

13 Junho 2017 | 19h33

RIO - O Estado do Rio voltará a pagar salários atrasados dos servidores públicos amanhã. Pouco antes de o governo fluminense divulgar nota com o anúncio, o secretário de Estado da Casa Civil, Christino Áureo, informou ao Broadcast que a primeira parcela dos salários atrasados de abril será paga amanhã, junto com o salário integral de junho dos ativos e inativos da área de segurança e dos ativos da área de educação.

A parcela dos atrasados de abril para cerca de 200 mil servidores ativos, inativos e pensionistas será de apenas R$ 700. No total, o Estado gastará R$ 138 milhões com essa parte da folha de pagamento. "De acordo com o resultado da arrecadação, a Fazenda anunciará em breve quando se dará novo depósito", diz a nota divulgada há pouco. Com isso, o governo fluminense terá pago R$ 1,2 bilhão da folha de pagamento de abril, que soma R$ 1,6 bilhão no total.

Os ativos, inativos e pensionistas da área de segurança (policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários) e ativos da área de educação (rede pública estadual, que não inclui o ensino superior) têm tido prioridade nos pagamentos. Amanhã, receberão o salário integral de maio - o décimo dia útil do mês subsequente foi definido como data de pagamento desde que o Rio começou a atrasar salários, na virada de 2015 para 2016.

No total, 240 mil servidores serão contemplados com o pagamento de maio. O valor gasto pelo Estado será de R$ 913,7 milhões, conforme o governo fluminense. "O pagamento dos ativos da Educação será efetuado com recursos do Fundeb e o da Segurança, com recursos do Tesouro. Os vencimentos serão depositados ao longo do dia, mesmo após o fim do horário bancário", diz nota divulgada pelo governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.