Reuters
Reuters

EUA cortam 33 mil vagas em setembro, no primeiro recuo em 7 anos

Queda ocorre devido a corte de vagas em restaurantes e a uma contratação menor em outros setores por causa dos furacões Irma e Harvey

O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2017 | 11h01

WASHINGTON - O mercado de trabalho dos Estados Unidos reduziu vagas pela primeira vez em sete anos em setembro, o que sugere que a economia foi atingida pelos furacões na Flórida e no Texas. Houve um corte de 33 mil vagas em setembro, após ajustes sazonais, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, o primeiro declínio desde setembro de 2010. 

O número encerra um período de sete anos seguidos de crescimento na geração de postos, incluindo um ganho médio mensal de 172 mil postos nos 12 meses até agosto. 

A taxa de desemprego dos Estados Unidos em setembro caiu para 4,2% ante agosto, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. O resultado para o mês foi a menor desde 2001, segundo o Departamento de Trabalho.

A queda ocorre em grande medida graças a um corte em vagas em restaurantes e a uma contratação menor em outros setores por causa dos furacões Irma e Harvey.

O salário médio por hora subiu US$ 0,12, ou 0,45%, na comparação entre setembro e o mês anterior. Os salários estavam 2,9% maiores na comparação com igual mês do ano passado. Um fator possível para isso, porém, seria o desemprego temporário por causa das tempestades de trabalhadores que ganham pouco, o que elevaria a média momentaneamente.

Economistas do setor privado já haviam advertido que os números do mercado de trabalho, bem como outros da economia americana, seriam afetados nos próximos meses por causa dos furacões. As distorções dificultam o trabalho do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) para entender o cenário, no momento em que avalia o ritmo para o aperto gradual na política monetária. / DOW JONES

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.