1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Expectativa positiva para a venda de portos

- Atualizado: 16 Janeiro 2016 | 18h 07

A expectativa em relação aos portos é muito positiva. O governo concentra fichas em concessões no Pará, para fortalecer a logística na chamada saída Norte do escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste. Inicialmente, seriam quatro terminais: um em Santarém e outros três em Outeiro, no Porto de Belém. Mas um quinto foi colocado no pacote: o de Vila do Conde. Todos são de grãos. 

Vila do Conde foi oferecido na rodada anterior, em dezembro, mas os investidores se concentraram em arrematar três terminais em Santos, o porto mais movimentado e importante do País. “Mesmo assim, ficamos satisfeitos com o resultado e estamos conversando com o setor privado para ouvir sugestões e fazer aprimoramentos”, diz Mauricio Muniz, secretário do PAC. “Já está diagnosticado que as empresas precisam de um prazo maior entre a publicação do edital e o leilão. Empresas estrangeiras, em especial, precisam consultar a matriz e o processo de decisão é mais demorado.” Entre as estrangeiras estão empresas de transporte e comercialização de grãos, em especial ADM, Bunge e Cargill.

“Todas as tradings e operadoras logísticas estão olhando os portos da saída Norte, que são muito atraentes, e o governo, corretamente, nesse caso, pegou áreas melhores” diz Cláudio Frischtak, da Inter.B Consultoria Internacional. O que pesa a favor desses projetos, diz, é que proporcionam redução no custo de transporte dos grãos voltados a exportação, em especial para a China.

“Já vi vários números, mas quem faz a conta diz que a diferença no custo de frete entre Paranaguá e Santos e os portos da chamada saída Norte fica entre US$ 40 a US$ 60 a tonelada, e alguns falam em até US$ 80, dependendo de onde você está: é uma diferença fantástica, que vai ficar maior ainda quando houver a expansão do canal do Panamá.”

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX