1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Falta de confiança e de políticas mantêm economia em letargia

É provável que, no biênio 2015/2016, o encolhimento do nível de atividade alcance patamar historicamente inédito próximo de 8%

José Paulo Kupfer

Nunca se viu na economia brasileira poço tão fundo. Se os números do PIB de 2015, conhecido o resultado do último trimestre do ano, indicam que o ritmo de retração, na comparação trimestre a trimestre, possa estar começando a perder fôlego, o recuo, em 2015, só não foi maior do que o registrado em 1990, ano do confisco da poupança. 

É provável que, no biênio 2015/2016, o encolhimento do nível de atividade alcance patamar historicamente inédito próximo de 8%. Depois da queda de 3,8% no ano passado, dificilmente a dose amarga não será repetida em 2016, mesmo com a contribuição mitigadora do setor externo. Não há contradição entre essa expectativa e a possibilidade de que o ritmo de evolução da economia caminhe para uma estabilização, a partir do segundo semestre. Embora sejam esperadas quedas mais moderadas na economia, tanto no primeiro trimestre quanto no segundo, o ano já começa com um “carregamento estatístico” negativo de 2,5%.

Os recuos menos acentuados, trimestre a trimestre, esperados este ano, se devem mais ao tamanho do tombo de 2015 do que à formação de condições para início de alguma retomada. Chama a atenção a forte contração da demanda interna. Houve recuo de 6,5% no ano, com destaque para os investimentos, cujo volume caiu 14,1% ante o ano anterior, depois de queda de 4,5% em 2014, puxado para baixo sobretudo pela forte queda de 26,5% no setor de máquinas. Difícil imaginar que seja possível ocorrer retração ainda maior daqui em diante.

Trata-se de uma prova acima de qualquer dúvida de que a economia se encontra num ciclo espantosamente adverso, que combina falta de confiança de empresários e consumidores com ausência de políticas capazes de induzir a saída da letargia, em ambiente contaminado por impasses políticos.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX