Ministério da Fazenda
Ministério da Fazenda

Fazenda confirma Mansueto Almeida como novo secretário do Tesouro

Em nota, Guardia afirma que Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria (Sefel), que tinha como titular Mansueto, passará a ser comandada pelo economista Alexandre Manoel Angelo da Silva

Luci Ribeiro e Sandra Manfrini, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 10h29

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, confirmou na manhã desta segunda-feira a indicação do economista Mansueto Almeida para o cargo de secretário do Tesouro Nacional, conforme antecipou ontem o Estadão/Broadcast. Em nota, o Ministério da Fazenda informa que a Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria (Sefel), que tinha como titular Mansueto, passará a ser comandada pelo economista Alexandre Manoel Angelo da Silva, atual subsecretário de Governança Fiscal e Regulação de Loteria.

O ministro também indicou o nome de Ariosto Antunes Culau para o cargo de secretário executivo adjunto. Ana Paula Vescovi já tinha sido confirmada como secretária executiva no dia em que Guardia tomou posse no cargo, na semana passada.

Currículos

Mansueto Almeida é formado em Economia, pela Universidade Federal do Ceará, é mestre em Economia pela USP. O economista é técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e já ocupou os seguintes cargos em Brasília: coordenador-geral de Política Monetária e Financeira na Secretaria de Política Econômica no Ministério da Fazenda (1995-1997), assessor da Comissão de Desenvolvimento Regional e de Turismo do Senado Federal (2005-2006). De 2014 a 2016, foi consultor privado e retornou ao serviço público em 2016. Mansueto também tem diversas publicações na área de finanças públicas e, recentemente, organizou dois livros: Retomada do crescimento - diagnóstico e propostas (Elsevier, 2017), com Fábio Giambiagi; e Finanças públicas: Da contabilidade criativa ao resgate da credibilidade (Record, 2016) com Felipe Salto.

Alexandre Manoel Angelo da Silva, que passa a ser secretário de Acompanhamento Fiscal, também é formado em Economia pela Universidade Federal de Alagoas e é mestre pela Escola de pós-graduação em Economia da FGV e doutor pela Universidade e Brasília (UnB). Também é técnico de Planejamento e Pesquisa do IPEA e já foi subsecretário de governança fiscal e regulação de loteria (2016-2018) na Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria (Sefel), coordenador-geral de política fiscal (2003-2004; 2007-2008) na Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda, e secretário municipal de projetos estratégicos (2013-2016) na Prefeitura de Maceió.

Ariosto Antunes Culau é formado em Economia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul, com especialização em Políticas Públicas e Governo (UFRJ) e mestrado em Gestão Governamental (EBAPE/FGV). O economista é Analista de Planejamento e Orçamento, e já exerceu vários cargos nessa área, tais como Diretor de Programas Econômicos, Secretário Adjunto e Secretário de Orçamento Federal, no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Já foi Superintendente do Tesouro do Estado de Goiás e Secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. No Ministério da Fazenda, foi Coordenador Geral do Gabinete do Ministro, Subsecretário para Assuntos Econômicos da Secretaria Executiva e, atualmente, ocupava a Chefia de Gabinete do Ministro da Fazenda. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.