1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

FecomercioSP prevê queda nas vendas de Dia dos Namorados

CARLA ARAÚJO - Agência Estado

11 Junho 2014 | 16h 21

As vendas do varejo paulistano para o Dia dos Namorados devem registrar queda de 7,1% na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A entidade, no entanto, não associa a redução das vendas diretamente à Copa do Mundo, embora a abertura do mundial também ocorra nesta quinta-feira, dia 12 de junho.

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, a expectativa para um desempenho negativo é resultado "da percepção generalizada de momento econômico complicado e do mau humor por parte de consumidores e de empresários".

Apesar do cenário pessimista, de acordo com a pesquisa, 67% dos comerciantes afirmaram não ter realizado nenhum tipo de promoção para alavancar as vendas. Além disso, somente 3% dos entrevistados afirmaram ter contratado trabalhadores temporários para ajudar nas vendas. O levantamento da entidade entrevistou 102 lojistas da capital paulista entre os dias 9 e 10 de junho.

Outro levantamento, feito pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), aponta que o Dia dos Namorados não deve alterar muito o cenário do varejo paulistano em junho. A projeção da entidade para este mês, de crescimento de 3% nas vendas, é similar ao desempenho do setor em outros meses do ano. "Trata-se de um ritmo moderado que, além de acompanhar a média dos últimos meses, acompanha o período acumulado do ano, que apresentou alta de 3% nas vendas ante 2013. Ou seja, nem a Copa do Mundo nem o Dia dos Namorados vão aquecer o comércio", disse o presidente da ACSP, Rogério Amato.

Presentes

A FecomercioSP fez também uma sondagem para apurar o comportamento dos namorados no momento da compra de presentes. Segundo o levantamento, 68,7% dos paulistanos pretendem presentear neste Dia dos Namorados, sendo que os homens (75,2%) devem comprar mais presentes do que as mulheres (60,8%). O valor médio de cada presente deve ser de R$ 65, porém a maioria dos consumidores (68,9%) pretende gastar mais de R$ 70 nas compras.

A pesquisa mostrou ainda que roupas, calçados e acessórios devem ser a opção de 33,5% dos consumidores e também são os itens mais desejados para 31,8% dos namorados que serão presenteados.

Entre os namorados que disseram que não irão comprar presentes para a data, 29,5% justificaram que não o farão por estarem com dívidas ou sem dinheiro e 40,5% porque não têm mesmo o costume de presentear em datas comemorativas.