1. Usuário
Assine o Estadão
assine

FGTS: pagamento da correção pode atrasar

Agencia Estado

01 Abril 2002 | 12h 31

Por atraso da rede bancária em fornecer as informações necessárias, parte dos trabalhadores que têm até R$ 1 mil a receber pela correção dos saldos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) podem não ter acesso ao dinheiro no mês de junho, data prevista para o início do pagamento. O ministro do Trabalho, Francisco Dornelles, deve divulgar, logo após a reunião extraordinária do Conselho Curador do FGTS, marcada para hoje, a lista dos bancos e a respectiva quantidade de extratos de contas vinculadas de FGTS que não foram repassados à Caixa Econômica Federal. A reunião extraordinária do Conselho Curador do FGTS foi marcada para que os conselheiros homologuem a resolução, já discutida para ser aprovada posteriormente, que disciplina a aplicação da multa estabelecida em lei para os bancos. A rede bancária tinha que remeter as informações necessárias ao pagamento da correção monetária não creditada às contas de FGTS por ocasião dos planos Verão (janeiro de 1989) e Collor 1 (abril de 1990) até o dia 31 de janeiro. Sobre o saldo das contas não encaminhadas à Caixa é que incide a multa de 10%. Dornelles já disse que o governo não quer multar as instituições, mas que isso será feito por descumprimento da legislação. O ministro afirmou que está mais preocupado com o prejuízo que o atraso trará para os trabalhadores. Mesmo com todo o aparato montado pela Caixa para processar as informações, há uma clara limitação de dados que podem ser tratados em um determinado período de tempo. A demora colocará alguns milhares de extratos no final da fila, o que implicará no adiamento do pagamento desses trabalhadores. Além do problema do atraso, para receber o crédito os trabalhadores têm que assinar e entregar o termo de adesão, disponível nas agências dos correios. A adesão também poderá ser no endereço eletrônico da Caixa (veja o link abaixo). O prazo para os trabalhadores fazerem a opção é até dezembro de 2003, mas para quem tem pouco a receber e quer colocar o dinheiro no bolso logo deve se apressar e encaminhar o termo de adesão até o final do mês de abril. Só assim a Caixa terá condições de pesquisar as contas de FGTS que o trabalhador tinha naquela época, atualizar o saldo, promover as atualizações necessárias e enviar as informações para o endereço indicado pelo trabalhador. É bom não esquecer que só poderá sacar o dinheiro o trabalhador que tiver preenchido uma das condições de saque previstas na lei 8.036, que são a demissão sem justa causa e a aposentadoria, entre outras. Os demais trabalhadores terão o crédito feito na conta de FGTS. Recebem em junho quem tem até R$ 1 mil. Para os trabalhadores quem têm até R$ 2 mil a receber, os primeiros R$ 1 mil serão pagos no mês de julho e o restante em janeiro de 2003.

  • Tags: