1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Fisher, do Fed, diz que alta gradual de juros não vai 'frear' economia

ANN SA - REUTERS

03 Setembro 2014 | 18h 25

A economia dos Estados Unidos está em "um momento bastante bom", disse nesta quarta-feira à Reuters o presidente do Federal Reserve de Dallas, Richard Fisher, acrescentando que acredita que o banco central norte-americano em breve estará pronto para aumentar gradualmente os juros, mas sem especificar quando.

"Eu não acho que seria um grande freio à economia se tivéssemos um aumento gradual das taxas de juros", disse Fisher, em entrevista em seu escritório.

Sobre quando o Fed deveria começar a aumentar os juros, que estão praticamente zerados desde dezembro de 2008, ele disse: "Minha opinião pessoal é que o cronograma foi adiantado, pelo menos na minha mente - quão cedo, eu não poderia dizer agora".

O banco central norte-americano tem mantido as taxas de juros quase zeradas desde dezembro de 2008 e comprou trilhões de dólares em Treasuries e ativos lastreados em hipotecas para reduzir os custos de financiamento de longo prazo e estimular o crescimento econômico e o mercado de trabalho.

Com a economia ganhando tração, o Fed tem diminuído as medidas de estímulo e gradualmente preparado o mercado para um eventual aumento de juros. Investidores e economistas atualmente esperam que o Fed comece a elevar os juros até meados de 2015, embora alguns integrantes do banco central venham pressionando para que isso aconteça mais cedo.

Fisher, um dos integrantes mais linha-dura do Fed e que se opôs às compras de títulos, surpreendeu alguns observadores em julho quando votou com a maioria de seus colegas a favor de continuar adicionando estímulos à economia, embora em nível reduzido.

Nesta quarta-feira, ele reiterou sua opinião de que o Fed deveria eliminar completamente seus estímulos até outubro e avaliar a economia e se a política monetária frouxa está provocando instabilidade financeira.

Fisher disse que não está preocupado com o fato de a inflação estar um pouco abaixo de meta de 2 por cento. É importante, afirmou, que o Fed não demore demais para aumentar os juros. Se isso acontecer, acrescentou, poderia forçar o banco central a aumentar mais os juros e de maneira desorganizada.

Enquanto alguns de seus colegas tenham dito que preferem arriscar manter a política monetária expansionista por mais que o necessário do que elevar os juros cedo demais e prejudicar a recuperação, Fisher se disse contrário a essa visão.

"Estou mais disposto a garantir que estejamos à frente da curva", disse.

Fisher disse que o Fed está "se aproximando" de completar a revisão para uma saída estratégia dos juros baixos que foi publicada pela primeira vez em junho de 2011 e afirmou que apoiaria divulgar o programa "o mais cedo possível". A divulgação, segundo ele, deveria coincidir com uma entrevista coletiva regular da chair do Fed, Janet Yellen.

A próxima entrevista coletiva de Yellen será depois da reunião de política monetária em 16 e 17 de setembro, com mais uma marcada para meados de dezembro deste ano.