1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Fitch: ajuda do governo aumenta risco do setor elétrico

LUCAS HIRATA - Agencia Estado

17 Março 2014 | 15h 21

As novas medidas anunciadas pelo governo brasileiro para apoiar as distribuidoras de energia elétrica são um sinal de intensificação do risco regulatório no setor energético do País e são mais uma medida heterodoxa adotada para ajudar o setor a lidar com uma situação difícil, afirmou a agência de classificação de risco Fitch.

Segundo a Fitch, apesar de ser positiva para a necessidade de caixa das empresas, essa nova medida é outro indicador do crescente intervencionismo do governo no setor que vai gerar obrigações para o governo e pressão sobre as tarifas das companhias nos próximos anos.

A injeção de capital de até R$ 21 bilhões em 2014 visa prevenir pressões sobre a liquidez nas distribuidoras e o repasse dos custos com energia por meio dos mecanismos de ajustes anuais. A maior parte do dinheiro, R$ 8 bilhões, virá de um financiamento bancário à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), onde é negociada diariamente a energia disponível das geradoras às Distribuidoras. Outros R$ 4 bilhões do pacote virão dos cofres públicos - serão aportados pelo Tesouro Nacional no principal fundo setorial, a Conta de Desenvolvimento de Energia (CDE), que já havia sido financiado em R$ 9 bilhões para 2014. Finalmente, o governo vai realizar um leilão de energia nova, mais barata, no fim de abril, para ampliar a oferta às distribuidoras.

"Em 2014, o setor elétrico brasileiro estará em uma posição difícil, pois os níveis de principais reservatórios hídricos do país estão próximos aos níveis observados durante o racionamento de energia de 2001. Esta situação é agravada pelo fato de que o fim da estação das chuvas está se aproximando, em abril", afirmou a agência.

Segundo a Fitch, até janeiro de 2014, a Light, CPFL, Eletropaulo, Cemig e Copel eram as empresas com maior exposição negativa à elevação de preços à vista. "Até essa data, as empresas tinham contas a pagar de energia no valor de R$ 127 milhões, R$ 106 milhões, R$ 83 milhões, R$ 75 milhões e R$ 74 milhões, respectivamente. Em fevereiro de 2014, a Fitch projeta que essas obrigações terão, no mínimo, dobrado para cada empresa, tendo em vista o preço médio mensal à vista de R$ 822,83/MWh é mais do que o dobro da taxa de R$ 383,67/MWh em janeiro", afirmou.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo