1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

Fusão cria o maior frigorífico do Brasil

Tatiana Freitas - O Estadao de S.Paulo

05 Junho 2008 | 00h 00

Os frigoríficos Margen e Quatro Marcos decidiram se fundir, dando origem à Uni Alimentos, companhia que nasce com faturamento superior a R$ 2,5 bilhões e capacidade diária de abate de 18,5 mil cabeças de bovinos, a maior instalada no País. O Friboi, até agora o maior frigorífico do País, encerrou o ano passado com capacidade de abate de 18,4 mil cabeças por dia no Brasil. Considerando as operações na Argentina, a capacidade total do grupo é de 25,1 mil cabeças/dia. O Marfrig abate cerca de 13,3 mil cabeças/dia no Brasil e 21,1 mil cabeças diárias considerando as atividades no Mercosul. A Uni Alimentos contará com 40 unidades industriais, sendo 26 de abate de bovinos, uma de desossa, três destinadas ao abate de suínos, seis à produção de charque e duas a curtumes, além de 12 centros de distribuição localizados em nove Estados. Segundo comunicado das duas empresas, a união, anunciada na terça-feira, possibilitará "rápida expansão sem a necessidade de quaisquer investimentos adicionais no curto prazo", em razão de ganhos de escala e diversificação geográfica, além de um amplo portfólio de produtos e canais de distribuição. O Banco Real estruturou a operação, cujos detalhes não foram revelados. Procurado, Geraldo Prearo, um dos sócios do Margen, informou que as empresas farão um anúncio mais detalhado a respeito da transação e da nova empresa ao mercado na próxima semana, depois que todos os detalhes da fusão forem finalizados. Em comunicado, a Uni informa apenas que celebrou um contrato com o Real para a implementação de práticas socioambientais de acordo com padrões internacionais, a partir de uma auditoria independente que será executada em conjunto com a equipe da instituição financeira. "A Uni Alimentos atuará em consonância com as melhores práticas no terreno da governança corporativa, tendo sua administração a cargo de profissionais com ampla experiência gerencial e setorial", diz a nota.

  • Tags: